Ouvir Baixar Podcast
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 15/12 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 15/12 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 15/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 15/12 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 14/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 14/12 14h06 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 10/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 10/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Últimas notícias
  • União Europeia aprova segunda fase de negociações sobre o Brexit
Europa

Queda de avião militar ofusca festa nacional que celebra unidade da Espanha

media Um avião militar caiu nesta quinta-feira (12) na Espanha após ter participado das manobras aéreas do feriado nacional em Madri. REUTERS/Andrew Winning

Um avião militar caiu nesta quinta-feira (12) na Espanha após ter participado do tradicional desfile do feriado nacional em Madri. O piloto da aeronave, capitão Borja Aybar, morreu no acidente. A aeronave, um modelo Eurofighter, retornava à base aérea de Los Llanos, nos arredores da cidade de Albacete, no sudeste do país, quando a queda ocorreu, já perto da área de pouso.

Imagens divulgadas em redes sociais mostram uma grande coluna de fumaça no local da queda. O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, prometeu se deslocar até Albacete após as cerimônias da festa nacional na capital. Duas aeronaves deste tipo caíram na Espanha em 2010 e 2014. Nas duas vezes, um dos ocupantes morreu.

A Espanha comemora nesta quinta-feira (12) seu feriado nacional, símbolo da unidade do país e a formação do Estado espanhol, este ano ameaçado pela crise entre os independentistas da Catalunha e Madri.

O rei Felipe VI e o primeiro-ministro assistiram a tradicional parada militar em Madri, que voltou ao Passeo de la Castellana para acolher mais público. A intenção foi dar uma clara demonstração de apoio popular ao governo e às autoridades neste momento de crise com a região da Catalunha.
 
Pela primeira vez em 30 anos, a polícia nacional, acusada de reprimir com violência o referendo catalão, participou do desfile. Cerca de 4 mil militares participaram da parada militar. Muitas autoridades estavam na tribuna de honra, incluindo os presidentes das regiões autônomas, com exceção das comunidades de Navarra e da Catalunha.

Bandeiras espanholas enfeitavam diversas ruas da capital, moradores também colocaram bandeiras em sacadas de seus apartamentos. Telões foram instalados em dois pontos importantes de Madri, a Plaza Colón e a Porta do Sol, no centro, para que os moradores pudessem acompanhar a cerimônia que teve como lema "Orgulhosos de ser espanhóis", um hashtag criado pelo Ministério da Defesa.

Em Barcelona, duas manifestações em defesa da união da Espanha também foram programadas para celebrar a festa nacional.

Essa impressionante demonstração de unidade espanhola acontece um dia depois do primeiro-ministro Rajoy ter dado um ultimato para o líder catalão Carles Puigdemont. Ele tem até o dia 19 de outubro para esclarecer sua posição sobre a declaração de independência da Catalunha. Madri ameaça recorrer a um artigo da Constituição que pode suspender a autonomia da região.

Com informações de agências

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.