Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 19/10 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 19/10 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 18/10 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 18/10 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 18/10 14h00 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 15/10 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 15/10 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Presidente da Catalunha suspende processo de independência da Espanha

media Carles Puigdemont durante sessão no Parlamento catalão em 10 de outubro de 2017. REUTERS/Albert Gea

O presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, suspendeu nesta terça-feira (10) o processo de independência da Espanha, com o objetivo de dar continuidade ao diálogo com Madri. Puigdemont fez questão de ressaltar, no entanto, o direito da Catalunha de se separar do país, durante sessão do Parlamento catalão, em Barcelona.

"Eu assumo que a Catalunha deve se tornar um Estado independente sob a forma de uma República ", afirmou o presidente da região, Carles Puigdemont, no Parlamento de Barcelona, nesta terça-feira (10).

"Proponho suspender a implementação desta declaração de independência para dar continuidade às discussões destinadas a alcançar uma solução negociada", contemporizou o líder catalão.

Carles Puigdemont, no entanto, não chegou a pedir um voto explícito do Parlamento em relação à declaração de independência da Catalunha. "A Catalunha ganhou o direito de ser um Estado independente", afirmou o presidente da Generalitat, fazendo menção ao resultado do referendo de 1º de outubro, marcado por uma vitória majoritária dos apoiadores da independência (90%), que teve uma taxa de participação de 43%.

O partido separatista de extrema esquerda Candidatura de Unidade Popular (CUP), aliado do presidente catalão, Carles Puigdemont, lamentou no entanto que se tenha "perdido uma oportunidade" de "proclamar solenemente a República Catalã".

"Diz-se que se suspendem os efeitos porque vamos para a mediação e a negociação. Mediação e negociação com quem? Com um Estado espanhol que continua nos ameaçando e perseguindo?", perguntou, na tribuna, Anna Gabriel, porta-voz da CUP.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.