Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Mais de meio milhão de londrinos pedem a volta da Uber na capital

media Londrinos pedem a volta dos serviços da empresa Uber na capital britânica. Foto do aplicativo nas ruas de Londres em 22 de setembro de 2017. REUTERS/Toby Melville

Cerca de 600 mil pessoas já assinaram a petição lançada na sexta-feira (22) na plataforma change.org para pedir à Transport for London (TfL), a autoridade dos transportes de Londres, que reverta sua decisão de proibir a empresa Uber de atuar na capital britânica.

A Transport for London (TfL) decidiu não renovar a licença de companhia de transporte privado de passageiros que expira em 30 de setembro. Para explicar sua decisão, a autoridade de transportes destacou que "o enfoque e a gestão da Uber mostraram uma falta de responsabilidade em relação a vários problemas, com consequências potenciais na proteção e segurança do público".

A TfL também acusa a Uber de não reagir adequadamente às denúncias de delitos de seus motoristas e sua incapacidade de comprovar os antecedentes penais de seus funcionários. Os responsáveis igualmentel culpam a Uber de utilizar um programa especial para que as autoridades não detectem os motoristas quando eles trabalham em áreas onde não teriam o direito de operar.

A empresa Uber, que afirma atender 3,5 milhões de londrinos e reunir mais de 40 mil motoristas registrados, disse que vai apelar da decisão.

O chefe do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, deu apoio ao prefeito de Londres, Sadiq Khan, afirmando no sábado (23) na televisão inglesa que era a “coisa certa a ser feita”. “Existe evidentemente um problema de segurança”, insistiu Corbyn em entrevista à BBC. “Os táxis devem ser controlados e o público protegido”, finalizou.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.