Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/11 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Com candidato galã, Partido Liberal já se vê como aliado de Merkel no governo

media As belas fotos fazem parte da estratégia de Christian Lindner para conquistar o eleitorado alemão. REUTERS/Axel Schmidt

Mesmo se tudo leva a crer que o partido CDU de Angela Merkel sairá vencedor da eleição legislativa deste domingo (24) na Alemanha, os possíveis aliados da chanceler, que concorre para seu quarto mandato, ainda são uma incógnita. Pois mesmo em caso de coalizão com o SPD de Martin Schulz, outras legendas, como os liberais do FDP, aparecem como parceiros potenciais, apesar de algumas divergências.  

Anissa El Jabri e Silvano Mendes, enviados especiais a Berlim

Até a tarde deste sábado (23) os militantes do Partido Liberal (FDP na sigla em alemão) continuavam nas ruas em busca dos votos dos quase um terço dos eleitores que ainda estão indecisos. Com uma equipe jovem e cheia de energia, a legenda distribuía panfletos na Rosenthaler Platz, no centro da capital, alheios aos preparativos para a Maratona de Berlim que passa pelo local também neste domingo.

Mesmo se as pesquisas apontam que o partido deve ficar na casa dos 10% de votos, a legenda, derrotada na última eleição legislativa, espera voltar ao poder. Aliada tradicional do CDU, o FDP se associou, entre 2009 e 2013, ao governo de Helmut Kohl e ao segundo mandato de Merkel.

Equipe do FPD distribui panfletos na Rosenthaler Platz, em Berlim, na reta final da eleição legislativa alemã RFI

Desta vez os militantes contam com um nome de peso: o emblemático Christian Lindner, líder da formação. Com look de galã, sempre fotografado em preto e branco usando ternos ajustados, o candidato adotou a postura de uma estrela. Aos 38 anos, ele chegou a ser motivo de chacota da imprensa alemã, sendo chamado pelo jornal Spiegel de “selfie made man”, em alusão às suas fotos mais que posadas.  

Lobo em pele de cordeiro

Como Merkel já avisou que não pretende se unir aos partidos da extrema-direita, AfD, e da esquerda radical, Die Linke, as chances são grandes de que Lindner se torne um dos aliados da CDU da chanceler a partir de segunda-feira (25).

No entanto, por trás das poses de modelo, o chefe do FDP apresenta propostas sensíveis. Em seu programa, ele promete instaurar sanções automáticas aos países que não respeitarem as regras orçamentárias da União Europeia, sugere que a Grécia deixe a zona do Euro, defende a anexação da Crimeia e deseja expulsar todos os refugiados do território alemão. Além disso, Lindner já se vê como futuro ministro alemão das Finanças.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.