Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Espanha identifica último jihadista dos atentados de Barcelona e Cambrils

media Memorial improvisado em Las Ramblas, em 22 de agosto de 2017, em homenagem às vítimas dos atentados REUTERS/Albert Gea

A polícia regional da Catalunha anunciou nesta quinta-feira (24) que identificou formalmente o último integrante da célula jihadista que executou os atentados de Barcelona e Cambrils, onde morreram 15 pessoas.

"Youssef Aalla é o segundo corpo identificado na explosão de Alcanar", informou a polícia regional (Mossos d'Esquadra), a respeito da cidade catalã onde aconteceu uma explosão acidental do arsenal que era preparado pelos jihadistas. O cadáver "corresponde ao último integrante da célula" cuja identidade dependia de confirmação, indicou a polícia.

A célula jihadista fabricava explosivos em uma casa de Alcanar, 200 km ao sudoeste de Barcelona, para executar atentados de grande dimensão. No entanto, a manipulação do material, que incluía 120 cilindros de gás, pregos, detonadores e pelo menos 500 litros de acetona, provocou uma explosão acidental que destruiu a casa e matou duas pessoas.

O primeiro corpo identificado na casa foi o de Abdelbaki Es Satty, imã de Ripoll, pequena cidade do norte da Catalunha na qual moravam a maioria dos membros da célula. O religioso é apontado como o responsável pela radicalização dos integrantes do grupo, que matou 15 pessoas nos ataques de Barcelona e Cambrils.   

Youssef Aalla tinha dois irmãos na célula: Said, de 18 anos, morto pela polícia em Cambrils, e Mohammed, de 27 anos, interrogado na terça-feira (22) por um juiz de Madri, que decidiu deixá-lo em liberdade sob controle judicial.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.