Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Autor do ataque em Bruxelas era um marroquino, desconhecido da polícia

media A estação central ferroviária de Bruxelas, uma das maiores da Bélgica, nesta quarta-feira (21), dia seguinte da explosão da mala-bomba. BRUNO FAHY / BELGA / AFP

O autor do ataque com explosivos nessa terça-feira (20), na estação central ferroviária de Bruxelas, foi identificado como um marroquino de 36 anos. Ele era desconhecido das autoridades por envolvimento com o movimento jihadista e atos de terrorismo, anunciou nesta quarta-feira (21) o porta-voz da Procuradoria Federal da Bélgica, Eric Van der Sypt.

O autor do ataque, identificado como O.Z., nascido em 20 de janeiro de 1981, foi morto por soldados durante a ação em que explodiu uma mala num corredor da estação. Ele gritou "Alá é Grande", gerando pânico entre os usuários. A explosão, tratada como um ataque terrorista, não deixou feridos.

De acordo com a Procuradoria Federal, o homem entrou às 20H39 (15H39 de Brasília) na Estação Central e caminhou em direção a um grupo de turistas. Depois de ter provocado uma explosão parcial, abandonou a bagagem em chamas. Um pouco mais tarde, a mala registrou uma segunda explosão bem mais violenta. As consequências do ataque poderiam ter sido muito maiores. Segundo o procurador federal de Bruxelas, a bagagem continha cilindros de gás e pregos potencialmente capazes de matar várias pessoas.

Morador do bairro de Molenbeek

O marroquino, autor do ataque, era morador do bairro de Molenbeek, na periferia de Bruxelas, internacionalmente conhecido por abrigar autores de vários ataques comandados pelo grupo Estado Islâmico na Europa, como os atentados de novembro de 2015, em Paris, que deixaram 130 mortos, e da Bélgica, em março de 2016, com 32 mortos.

O novo ataque na capital belga aconteceu um dia depois de um homem atropelar muçulmanos perto de uma mesquita em Londres, matando uma pessoa, e de um radical islâmico morrer em uma tentativa de ataque na avenida Champs-Elysées em Paris. O governo belga manteve inalterado o nível de alerta terrorista no país, mas reforçou a segurança prevista para o show do grupo ColdPlay, na noite desta quarta-feira em Bruxelas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.