Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/11 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Controle de fronteiras internas da UE deve ser suspenso em novembro

media A Suécia, que havia reforçado o controle de suas fronteiras, anunciou a suspensão da medida. REUTERS/Johan Nilsson/TT NEWS AGENCY ATTENTION EDITORS

A Comissão Europeia propôs nesta terça-feira (2) a suspensão, a partir de novembro, dos controles fronteiriços internos no bloco. A medida havia sido implementada por alguns países europeus em 2015, no auge da crise migratória.

"Chegou a hora de retornar gradualmente ao funcionamento completo do sistema Schengen”, indicou em uma coletiva de imprensa o comissário europeu de Migrações, Dimitris Avramopoulos. Para ele, a nova prorrogação de seis meses destes controles, que vai até novembro, deve ser a última.

Mesmo se o espaço Schengen autoriza a livre circulação de cidadãos nos países do bloco, desde a crise migratória de 2015 várias nações do grupo reforçaram a segurança em suas fronteiras. Desde maio de 2016, os países-membro vêm prolongando a medida.

Mas Bruxelas estima que a partir de novembro, Alemanha, Áustria, Dinamarca e Noruega devem suspender as barreiras. Segundo a Comissão Europeia, a medida só foi renovada uma última vez em razão do número elevado de migrantes presentes na Grécia, que esperam para serem reconhecidos como refugiados, e a dificuldade de controlar o fluxo de passagem de pessoas pela chamada “rota dos Balcãs”.

Suécia vai liberar fronteiras

Trata-se apenas de uma “recomendação” da Comissão Europeia, já que cada país ainda deve se pronunciar sobre o tema. O governo sueco foi o primeiro a reagir. Estocolmo anunciou nesta terça-feira a supressão dos controles de identidade sistemáticos em sua fronteira com a Dinamarca, que haviam sido implementados em janeiro de 2016 ante o grande fluxo de refugiados. Paralelamente, o governo sueco anunciou que reforçará os meios da polícia e dos serviços aduaneiros ao longo desta fronteira.

Mais de um milhão de pessoas pediram assilo na União Europeia em 2015. A maioria das solicitações foi para Alemanha e Suécia.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.