Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/08 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 19/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 19/08 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Papa Francisco diz que refugiados vivem como em campos de concentração

media Papa Francisco durante cerimônia na basílica de São Bartolomeu REUTERS/Maurizio Brambatti/Pool

O papa Francisco denunciou neste sábado a situação dos refugiados na Europa. Durante um discurso em Roma, o sumo pontífice criticou os “campos de concentração” para os migrantes.

A declaração foi feita durante uma cerimônia na basílica de São Bartolomeu. O papa disse que muitos acampamentos de refugiados “são campos de concentração superlotados por causa de acordos internacionais que parecem ser mais importantes que os direitos humanos”.

Em uma reação que não estava prevista em seu discurso original, o sumo pontífice contou com emoção a história de um refugiado que encontrou em um acampamento de migrantes na Grécia. “Ele olhou para mim e disse: eu sou muçulmano e minha mulher era cristã. Nós fomos aterrorizados em nosso país. Eles viram um crucifixo e nos pediram para jogar fora. Como ela recusou, foi degolada na minha frente”, rememorou Francisco. “Eu não sei se ele conseguiu sair desse campo de concentração e ir para outro lugar”, concluiu o papa.

Francisco não revelou a nacionalidade do refugiado, mas a maioria dos migrantes de Lesbos, onde ocorreu o relato, havia fugido do conflito sírio. Na época, o papa levou para Roma três famílias de migrantes.

Neste sábado, o papa se reuniu com outros refugiados que haviam chegado à Europa legalmente com a ajuda da Comunidade de Santo Egídio. O sumo pontífice lembrou ser necessário que a generosidade para com os imigrantes demonstrada pela população de Lesbos e das ilhas italianas da Sicília e Lampedusa se propague pela Europa.

Homenagem a padre francês degolado

A cerimônia, que fazia parte de uma celebração dos “novos mártires”, também foi marcada pela homenagem ao padre francês Jacques Hamel, morto degolado por dois jihadistas em julho passado em Saint-Etienne-du-Rouvray, no oeste da França. O atentado, o primeiro em uma igreja na Europa, sacudiu o país, já traumatizado por uma série de ataques sangrentos.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.