Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 28/05 09h30 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 26/05 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 28/05 09h33 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 26/05 09h36 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 28/05 09h57 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 28/05 15h00 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 28/05 15h06 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 28/05 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Viena é cidade com melhor qualidade de vida pelo 9° ano consecutivo

media Viena volta a encabeçar a lista das cidades com maior qualidade de vida no mundo. REUTERS/Leonhard Foeger

Viena volta a encabeçar a lista das cidades com maior qualidade de vida no mundo, segundo o ranking da consultoria Mercer de 2017, divulgado nesta terça-feira (14). A capital austríaca é seguida por Zurique (Suíça), Auckland (Nova Zelândia), Munique (Alemanha) e Vancouver (Canadá). A capital do Iraque, Bagdá, é apontada como o pior lugar para viver.

A primeira cidade brasileira na lista de 231 pesquisadas pela consultoria Mercer é Brasília, em 109° lugar. O Rio de Janeiro aparece na 118ª posição, três à frente de São Paulo.

Viena destrona as concorrentes desde 2009, ano em que passou a liderança de Zurique. A capital mundial da música erudita e seus mais de 100 museus, com uma programação artística variada, continua colhendo apreciações positivas. Outros fatores importantes, como a gastronomia, o conforto e a segurança fazem a alegria de seus moradores e viajantes.

A Mercer conduz o estudo sobre qualidade de vida com uma periodicidade anual, com o objetivo de ajudar as empresas multinacionais e outras entidades empregadoras a remunerarem com justiça e rigor os colaboradores contratados para atuar em projetos internacionais.

Entre as dez cidades no topo do ranking de 2017, oito são europeias, sendo três suíças e três alemãs. Desde o levantamento do ano passado, Bruxelas (27°) e Paris (38°) perdem posições por causa dos atentados terroristas, mas ainda aparecem à frente de Londres (40°). As cidades europeias menos bem posicionadas são Minsk (188°), na Belarus, e São Petersburgo (176°), na Rússia. A primeira americana do ranking é São Francisco, em 29° lugar.

O estudo avalia a oferta em habitação, saúde, educação e cultura, além das condições de estabilidade econômica, política e de segurança pública. Pela primeira vez, o levantamento deste ano analisou as cidades do ponto de vista de suas infraestruturas. Foram observados critérios como facilidade de acesso à rede de transportes, a variedade de voos internacionais a partir dos aeroportos locais, a fiabilidade dos serviços de energia e a existência de água potável, além das telecomunicações e o trânsito.

A campeã em infraestrutura é Cingapura, seguida de Frankfurt e Munique, ambas em segundo lugar. Copenhague, na Dinamarca, aparece em terceiro.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.