Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/11 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Zara sonegou quase € 600 milhões em impostos durante 3 anos

media A cadeia de lojas Zara pertence a Amancio Ortega Gaona, um dos homens mais ricos no mundo. GETTYImages

O grupo espanhol Inditex, do qual faz parte a cadeia de lojas Zara, é acusado de não pagar corretamente seus impostos e de ter sonegado centenas de milhões de euros em um período de três anos. A irregularidade foi apresentada em um relatório na quinta-feira (8) no Parlamento Europeu em Bruxelas.

De acordo com o documento redigido por deputados ecologistas, o Inditex teria sonegado cerca de € 585 milhões entre 2011 e 2014. O método utilizado foi a "otimização fiscal", uma prática teoricamente legal, mas "moralmente incorreta" que atrapalha a transparência fiscal na Europa, alega o relatório.

"Nossa investigação mostra que o Inditex sonegou € 585 milhões em impostos mediante técnicas de manipulação fiscal agressivas, principalmente na Holanda, Irlanda e Suíça", assinala o documento de 36 páginas.

Ikea e BASF também sonegam impostos

As práticas de otimização fiscal das multinacionais, entre elas a possibilidade de uma empresa declarar todos seus lucros em países onde disporiam de um regime preferencial de tributação graças a um acordo com seus governo, estão na mira da Comissão Europeia. O grupo têxtil espanhol é a terceira empresa visada pelos Verdes por suas técnicas fiscais, depois do grupo sueco de móveis Ikea e o gigante químico alemão BASF.

Entrevistado pela RFI, o presidente do grupo que redigiu o relatório, Philippe Lamberts, condenou o fundador do grupo Inditex, Amancio Ortega Gaona, um dos homens mais ricos no mundo, pela prática. "A Irlanda, a Holanda e a Suíça são os países onde é registrada a maior parte dos lucros operacionais do grupo", afirma. Segundo o deputado, essas nações modificaram suas leis fiscais para acomodar multinacionais no passado e agora e agora impedem os trabalhos contra a sonegação de evoluir.

Calcula-se que apenas a França deixou de receber € 76 milhões de impostos neste período em que o Inditex sonegou centenas de milhões de euros. Além da Zara, Gaona é proprietário de marcas famosas na Europa, como Massimo Dutti, Bershka, Oysho, Uterqüe, Kiddy's class, Pull and Bear, Stradivarius. No total, o grupo conta com mais de 5,5 mil lojas pelo mundo.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.