Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/08 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 18/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 18/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/08 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/08 09h33 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Mais de 30 mil migrantes estão bloqueados na Grécia

media Acampamento improvisado perto da cidade grega de Idomeni, na fronteira com a Macefônia, em 5 de março de 2016. REUTERS/Sasa Kavic

Milhares de migrantes estão bloqueados na Grécia em condições miseráveis devido às restrições impostas por países dos Bálcãs. Na segunda-feira, líderes da União Europeia se reúnem com a Turquia para discutir o fluxo massivo dos migrantes para o continente.

 

Em Idomeni, na fronteira da Grécia com a Macedônia, 13 mil pessoas aguardam em situação precária, mas segundo o governador do Estado na fronteira entre os dois países, outras 20 mil se encontram na região, o que representaria 60% dos migrantes que chegaram à Grécia.

Em uma entrevista à imprensa alemã neste domingo (6), a chanceler Angela Merkel disse que a Grécia deveria ter criado 50 mil lugares para acolher os refugiados até o final de 2015. "O atraso deve ser compensado o mais rapidamente possível", afirmou. Segundo Merkel, a "União Europeia deve e vai apoiar a Grécia de maneira solidária".

Mobilização para atender os refugiados

O número de requerentes de asilo - a maioria sírios, iraquianos e afegãos-, bloqueados na Grécia aumenta a cada dia depois que vários países, entre eles a Macedônia, decidiram limitar a entrada a seus territórios.

Mais de 30 mil migrantes estão bloqueados na Grécia, onde as ONGs se mobilizam para atender essa população. No sábado, a Médicos Sem Fronteiras começou a montar 1000 barracas extras para acomodar os migrantes. Muitos deles estão dormindo ao relento há várias semanas.Nos últimos dias, sírios e iraquianos manifestaram na frente de cercas de arame farpado instaladas na fronteira da Macedônia com a Grécia, para impedir sua passagem.

Migrantes tentar derrubar barreira instalada pela Macedônia em sua fronteira com a Grécia. 29/02/16 LOUISA GOULIAMAKI / AFP

A Bulgária, que por enquanto é poupada desse imenso fluxo migratório, decidiu enviar 400 militares às sua fronteira com a Grécia para impedir a entrada de refugiados. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro búlgaro, Boiko Borissov.

Segundo a ONU, o número de pessoas bloqueadas na Grécia deve chegar a 70 mil nas próximas semanas. O país está construindo muitas estruturas para acolher os migrantes, mas muitos deles preferem se dirigir à fronteira com a Macedônia para tentar seguir viagem rumo ao norte da Europa.

Expectativa para reunião de Cúpula

Os migrantes aguardam com muita expectativa os resultados da reunião desta segunda-feira (7), em Bruxelas, entre os países da União Europeia e a Turquia. Os europeus deverão exigir mais esforços das autoridades de Ancara para impedir o fluxo de migrantes. Em troca, o governo turco deverá pressionar para acelerar sua adesão ao bloco europeu.

No entanto, a decisão da justiça turca de nomear um interventor para controlar o jornal de oposição Zaman pode ser um fator complicador para as negociações entre europeus e turcos. O comissário europeu para expansão do bloco, Johannes Hahn, disse ter ficado "extremamente preocupado" com o caso. Segundo ele, a intervenção no principal jornal de oposição ao presidente Recep Erdogan pode “colocar em risco o avanço da Turquia em outros assuntos”.
 

 
O tempo de conexão expirou.