Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

UE propõe ajuda de € 700 milhões a países que enfrentam crise migratória

media Cerca de 7 mil migrantes seguem bloqueados em Idomeni, na fronteira da Macedônia com a Grécia. Alexandros Avramidis/Reuters

A União Europeia (UE) propôs nesta quarta-feira (2) uma ajuda de € 700 milhões aos países que enfrentam o fluxo maciço de migrantes. Autoridades estão particularmente preocupadas com as sete mil pessoas bloqueadas na fronteira da Macedônia com a Grécia e com o acampamento em Calais, no norte da França.

"A proposta de hoje disponibilizará € 700 milhões onde ela é mais necessária", indicou o comissário europeu para a Ajuda Humanitária, Christos Stylianide. Segundo ele, o pacote deverá ser dividido em três anos; € 300 milhões devem ser distribuídos em 2016.

A Grécia, que enfrenta uma situação insustentável na sua fronteira com a Macedônia, onde cerca de sete mil de migrantes permanecem bloqueados, disse que necessita de € 480 milhões para acomodar cem mil refugiados. Atenas reconheceu na terça-feira (1°) "que não será capaz de gerir todos os refugiados que chegam". Atualmente, o país acolhe 23 mil migrantes.

No norte da França, as autoridades continuavam nesta quarta-feira, pelo terceiro dia consecutivo, o desmantelamento parcial do acampamento de migrantes chamado de "Selva de Calais". Durante a noite, vários barracos do local foram incendiados. Ainda não se sabe se os incêndios foram acidentais ou voluntários.

Segundo o governo francês, no acampamento vivem cerca de mil migrantes. Mas associações indicam que a quantidade de pessoas que vivem na Selva de Calais pode chegar a até 4 mil. A maioria deles se recusa a deixar o local porque quer imigrar ao Reino Unido.

Imigração à Europa pode bater novo recorde em 2016

Mais de 131 mil migrantes chegaram à Europa pelo Mediterrâneo desde o início de janeiro, de acordo com dados fornecidos pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). Esse número excede o registrado nos cinco primeiros meses de 2015, indicando que o número de migrantes que chegaram ao Velho Continente pode bater um novo recorde em 2016.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, iniciou ontem em Viena, na Áustria, um giro pelos países dos Bálcãs. Ele também visitará na quinta-feira (3) e sexta-feira (4) a Turquia, antes de uma cúpula europeia convocada para 7 de março em Bruxelas.

Enquanto isso, de acordo com fontes diplomáticas, navios da Otan enviados ao Mar Egeu para monitorar as redes de tráfico de migrantes entre a Turquia e a Grécia ainda não foram puderam começar suas operações no litoral turco, na ausência de autorização de Ancara.

(Com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.