Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Vídeo mostra policiais húngaros tratando migrantes como "animais"

media Captura do vídeo mostrando a distribuição de comida aos refugiados na Hungria. Foto: Reprodução site YouTube

Um vídeo filmado clandestinamente no interior do maior campo de migrantes na Hungria, perto da fronteira com a Sérvia, mostra o tratamento considerado "desumano" dos policiais na distribuição de comida aos refugiados.

As imagens gravadas por uma voluntária austríaca (primeiro vídeo abaixo do texto) que esteve no campo de Roszke mostram cerca de 150 migrantes fechados dentro de uma grande sala. Eles disputam sanduíches embalados em sacos plásticos lançados por policiais, que usam máscaras higiênicas. Os que estão mais próximos dos policiais na linha de frente recebem o alimento nas mãos, mas não têm espaço para sair.Os que estão mais distantes devem enfrentar um empurra-empurra para conseguir pegar no ar os sanduíches lançados.

"É como alimentar animais fechados em um recinto, como um Guantânamo na Europa", declarou Klaus Kufner, colega de Michaela Spritzendorfer, que filmou a cena. O vídeo foi publicado na noite desta quinta-feira no site YouTube.

Os dois voluntários foram ajudar a levar comida, roupa e medicamentos ao campo de refugiados. "É desumano e também mostra que, apesar deles estarem com muita fome, não brigaram por comida", afirmou Michaela.

Jornalista se defende por chute contra imigrantes

A jornalista húngara Petra Laszlo, flagrada chutando migrantes que tinham atravessado a fronteira da Sérvia (segundo vídeo abaixo), demitida pela rede de TV, comentou o caso pela primeira vez. Em uma carta publicada na imprensa de Budapeste, Petra Laszlo disse que entrou em pânico e que lamenta o que fez. Mas "o mea culpa" da jornalista é questionável.

Ela diz que "sendo mãe, lamenta que uma criança tenha esbarrado nela", quando pelas imagens dá para constatar que a cinegrafista passou uma rasteira num migrante que andava apressado com uma criança no colo. Na quinta-feira (10) ela foi interrogada pela polícia como parte de uma investigação criminal aberta pela justiça húngara.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.