Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 20/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 20/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 20/11 14h00 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 20/11 08h30 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 19/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 19/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 19/11 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 17/11 08h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Passeata em Barcelona pede independência da Catalunha

media O presidente catalão Artur Mas REUTERS/Gustau Nacarino

A Catalunha começou nesta sexta-feira (11) a campanha eleitoral mais importante de sua história contemporânea com uma grande manifestação em Barcelona do movimento separatista que busca conseguir ampla maioria parlamentar para lançar um processo de separação do resto da Espanha.

Se as expectativas se concretizarem, os separatistas mobilizarão pelo quarto ano consecutivo milhares de pessoas na capital catalã a favor da independência desta rica região de 7,5 milhões de habitantes.

Os independentistas organizam esta grande passeata pensando nas eleições regionais do dia 27, apresentadas por este movimento como um plebiscito sobre a independência da Catalunha.

As pesquisas mais recentes apontam a vitória de duas listas separatistas. Juntas, as listas conquistariam a maioria absoluta no Parlamento regional (68 sobre 135), o suficiente, segundo presidente catalão, o ativista pró-independência Artur Mas, para iniciar o processo.

Independência da região

O plano prevê proclamar em no máximo 18 meses a independência desta vigorosa região do nordeste da Espanha, que representa 20% do PIB do país, a quarta maior economia da zona do euro.

A situação provoca inquietação entre muitos habitantes da região, que se consideram espanhóis e catalães, e temem encontrar-se atrás de uma nova fronteira.

O debate divide famílias e transcende as correntes ideológicas. As listas separatistas - Junts pel sí (Juntos pelo sim) e CUP (Candidatura de Unidade Popular) - vão da centro-direita até a extrema esquerda.

As eleições de 27 de setembro acontecerão após três anos de tensão entre o governo conservador espanhol de Mariano Rajoy e o governo catalão dirigido por Mas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.