Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 13/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 13/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 13/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 13/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 13/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 13/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 12/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Itália prende suspeitos de organizar viagem que matou 49 migrantes

media Migrantes desembarcam no porto de Catânia, na Sicília, em 17 de agosto de 2015. REUTERS/Antonio Parrinello

A polícia deteve oito pessoas suspeitas de terem organizado uma travessia clandestina no Mediterrâneo, na qual 49 migrantes morreram asfixiados no sábado (15), anunciaram as autoridades italianas nesta terça-feira.

Entre os detidos, está um marroquino de 20 anos suspeito de ser o capitão do barco de 13 metros de comprimento em que viajavam 362 pessoas. As outras sete pessoas estavam encarregadas de manter a ordem e, em particular, impedir que os passageiros que viajavam no porão do barco subissem à ponte.

Estas pessoas espancaram "na cabeça, com socos e pontapés, bastões e cintos as pessoas que queriam subir para ter ar", disse em uma coletiva de imprensa Michelangelo Patane, procurador-adjunto de Catania, Sicilia, onde se encontram desde segunda-feira os sobreviventes e os cadáveres.

As vítimas morreram em poucas horas "provavelmente devido à falta de ar e à fumaça do motor", acrescentou o procurador, que atribuiu a responsabilidade da tragédia à modalidade da viagem e à atitude da tripulação.

Jovens coiotes

Os supostos coiotes, todos identificados entre os sobreviventes da travessia, são dois marroquinos e quatro líbios, de 18 a 20 anos. Além deles, foram detidos um marroquino de 30 anos e um sírio de 17, transferido a um centro de detenção de menores.

As vítimas eram provenientes da África subsaariana, do Paquistão e de Bangladesh, segundo a Organização Internacional de Migrações (OIM). Entre as pessoas que chegaram na segunda-feira a Catânia também há 116 marroquinos.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.