Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Greve de pilotos da TAP tem 25% de voos anulados no primeiro dia

media Passageiros no aeroporto de Lisboa. REUTERS/Hugo Correia

O tráfego aéreo em Portugal foi fortemente perturbado nesta sexta-feira (1°) por causa do início de uma greve de dez dias dos pilotos da companhia TAP, com 25% dos voos anulados. O movimento deve afetar 300 mil pessoas, declarou a empresa.

No aeroporto de Lisboa, vários passageiros reclamavam da falta de informações. “Respeitamos o direito à greve, mas queremos voltar para casa”, declarou à AFP a turista alemã Luise Piening-Geissler, de 56 anos. Já a francesa Magaly Chouri, 34 anos, em trânsito entre o Cabo Verde e Bordeaux, não sabia se ia conseguir embarcar para a França. “As bagagens do avião foram todas extraviadas”, acrescentou.

Um em cada quatro voos foi anulado, informou um porta-voz da companhia. Ele também disse que a TAP estava executando "mais voos que o previsto" e que um serviço mínimo vai garantir pelo menos 10% dos 300 voos diários programados durante os dez dias da greve.

Privatização

Os pilotos acusam o governo português e a direção da TAP de não haver respeitado os acordos feitos durante o processo de privatização da companhia. Eles reclamam principalmente da violação de um acordo que previa entre 10% e 20% de participação acionária aos pilotos e da não restituição dos prêmios de antiguidade, suprimidos em 2011.

Em busca de fundos privados para a TAP, o governo de centro-direita decidiu vender até junho 66% da companhia, após o fracasso de uma primeira tentativa de privatização em dezembro de 2012.

O presidente da TAP, Fernando Pinto, disse que a greve poderia custar 70 milhões de euros à companhia aérea. Segundo o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, o movimento poderia também ter um impacto significativo na economia nacional.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.