Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/07 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/07 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Presidente da Suíça tenta tranquilizar estrangeiros que trabalham no país

media O presidente da Suíça, Didier Burkhalter, enviou uma mensagem de confiança aos estrangeiros que trabalham no país, neste 12 de fevereiro de 2014. Reuters

Depois de chorar diante dos jornalistas no domingo, ao confirmar a vitória do referendo que pedia o fim da imigração em massa, o presidente da Suíça, Didier Burkhalter, deu nesta quarta-feira uma declaração dirigida a todos os estrangeiros que estão trabalhando no país.

Tentar tranquilizar os trabalhadores estrangeiros na Suíça. Este foi o objetivo do presidente Didier Burkhalter com sua declaração nesta quarta-feira. A iniciativa foi tomada depois que o referendo de domingo resultou em um "sim" para o limite da entrada de imigrantes europeus, batendo de frente com o acordo de livre circulação que o país firmou com a União Europeia.

Burkhalter declarou que os que trabalham na Suíça segundo o acordo europeu de livre circulação, terão os seus direitos garantidos e não correm nenhum risco.

Aplicação do "sim"

Um plano de aplicação dos dispositivos do referendo será elaborado até o fim de junho, seguido de um projeto de lei antes do fim de 2014., quando será submetido ao Parlamento.

O resultado do referendo causou um terremoto de protestos por parte de diversos países da União Europeia, que acusam os suíços de se fecharem cada vez mais com a decisão de limitar a imigração. Desde domingo, a União ameaça suspender os acordos bilaterais e está estudando que medidas vai tomar.

A Suíça tem três anos para aplicar o resultado do referendo. A proposta veio do partido nacionalista UDC, que pede a volta do limite de entrada de imigrantes no país para pôr um fim à imigração em massa.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.