Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 13/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 13/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 13/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 13/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 13/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 13/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 12/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Justiça dá penas reduzidas a cinco réus do naufrágio do Costa Concordia

media Francesco Schettino (dir.), durante seu julgamento no último dia 17 de julho de 2013. REUTERS/Giampiero Sposito

A Justiça italiana decidiu neste sábado dar penas de prisão reduzidas a cinco réus acusados de responsabilidade pelo naufrágio do navio Costa Concordia, que se acidentou em janeiro de 2012, em frente à ilha de Giglio, matando 32 pessoas. A decisão, tomada porque eles reconheceram erros, irritou familiares das vítimas do naufrágio, que reclamam que o capitão Francesco Schettino possa acabar condenado como o único responsável pela tragédia.

Os cinco funcionários da empresa Costa Cruzeiros foram condenados pelo tribunal de Grosseto, na Toscana, a penas entre um ano e meio e dois anos de prisão por imprudência. As penas "negociadas" já eram esperadas por terem sido propostas pela Promotoria.

O capitão do navio, Francesco Schettino, pediu para também firmar um acordo amigável, mas nesse caso encontra a oposição dos promotores. Ele será julgado por homicídio culposo múltiplo e abandono de navio, além de outras acusações. Se for considerado culpado, Schettino pode pegar até 20 anos de prisão.

Entre os cinco condenados neste sábado, quatro --Manrico Giampedroni, Ciro Ambrosio, Jacob Rusli Bin e Silvia Coronica-- integravam a tripulação do navio. O quinto é o diretor da unidade de crise da Costa Cruzeiros, Roberto Ferrarini, acusado de não ter tomado medidas suficientemente rápidas e eficazes.

A decisão da justiça irritou a advogada Daniele Bocciolini, uma das advogadas das partes civis. "São penas negociadas injustas. Existe uma evidente disparidade de tratamento entre eles e Schettino. Não é normal que ele seja o único culpado", afirmou ela ao jornal "La Reppublica"

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.