Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 15/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/06 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 15/06 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 15/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Autor de massacre na Noruega, Breivik pega pena máxima

media Pessoas conversam num pub de Oslo enquanto a tevê anuncia o veredicto de Anders Breivik, em 24 de agosto de 2012. REUTERS/Stoyan Nenov

O veredicto contra o extremista noruguês Anders Behring Breivik, condenado à pena máxima pelo massacre de 77 pessoas em 22 de julho de 2011, é definitivo, garantiram seus advogados nesta sexta-feira. Pela lei, o réu tem direito a recorrer da sentença até a meia-noite desta sexta-feira, mas Breivik resolveu abdicar da apelação. Já no dia do veredicto, em 24 de agosto, o assassino havia dito que não contestaria a pena de 21 anos de prisão. De acordo com ele, recorrer significaria reconhecer a legitimidade do tribunal de Oslo.

"Não há nenhuma dúvida de que o caso de 22 de julho termina hoje", declarou Geir Lippestad, depois de um último encontro com seu cliente na prisão de segurança máxima de Skien. "Ele mantém a posição de não apelar", reiterou sua outra advogada, Vibeke Hein Baera.

No dia 22 de julho de 2011, Breivik matou 77 pessoas: oito delas em um atentado a bomba, próximo à sede do governo em Oslo e as outras 69, em sua maioria adolescentes, a tiros em um acampamento para a juventude trabalhista, na Ilha de Utoeya. Ele próprio chamou seus ataques de "atrozes, mas necessários" e acusou suas vítimas de promover o multiculturalismo na Noruega.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.