Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Mau tempo suspende todas as operações no Costa Concordia

media Guarda costeira e operários reúnem esforços para distribuir barreiras de proteção a vazamento de combustível proveniente do navio Costa Concordia no litoral da Ilha de Giglio, nesta quarta-feira. REUTERS/Darrin Zammit Lupi

Todas as operações de busca de corpos e dos preparativos para a retirada do combustível do navio Costa Concordia foram suspensas nesta quarta-feira devido às condições climáticas, anunciaram as equipes de resgate que estão no local. Fortes rajadas de vento e o mar agitado impediam o acesso à carcaça do navio que afundou no dia 13 de janeiro. As previsões meteorológicas indicam que o mau tempo prossegue até a noite de quinta-feira.  

O tráfego de ferry boat entre Porto Santo Stefano e a ilha de Giglio, onde se encontra o navio, foi interrempido durante esta quarta-feira.

Após a autorização para voltar a se aproximar da embarcação, ainda será preciso pelo menos 24 horas de preparativos antes do início da retirada das quase 2.400 toneladas de combustível contido dentro dos reservartórios do Concordia, segundo a defesa civil.

Os operadores também perceberam vidros próximo à piscina externa, situada na parte traseira do navio, se  moverem, aumentando os riscos para o trabalho dos bombeiros e mergulhadores.

Na terça-feira, a defesa civil anunciou o fim da exploração da parte submersa do cruzeiro para o resgate de 15 corpos que ainda estão desaparecidos.

“Não há condições de segurança para continuar com as operações na parte submersa do navio”, afirmou o comunicado. A preocupação é que os mergulhadores não possam sair em caso de emergência pelos acessos nos decks que estão a 20 metros de profundidade.

Os bombeiros e espeleólogos ainda deverão fazer uma nova inspeção mais detalhada nas áreas submersas do navio e continuarão a procura pelos corpos ainda desaparecidos ao redor do navio.

O navio Costa Concordia naufragou no dia 13 de janeiro após chocar-se com um rochedo na ilha italiana de Giglio com mais de 3.200 turistas a bordo de 60 nacionalidades diferentes.

A catástrofe deixou pelo menos 32 mortos, de acordo com o comissário especial do governo italiano.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.