Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Ex-assessor de Cameron envolvido em escândalo de tabloide é preso

media O ex-editor do "News of the World", Andy Coulson, foi preso por escândalo de grampos. Reuters

A Scotland Yard prendeu nesta sexta-feira Andy Coulson, ex-diretor de Comunicação do premiê David Cameron e ex-editor chefe do tabloide News of The World, publicação que está no centro de um escândalo de escutas telefônicas no Reino Unido. Coulson é suspeito de ter participado do esquema de escutas ilegais do tabloide e de corrupção de policiais-informantes. O premiê prometeu que "nada vai ser deixado de lado" sobre o escândalo.

A Scotland Yard também deteve hoje o jornalista Clive Goodman, do NOTW, acusado de corrupção. Em 2007, o jornalista já havia sido condenado a quatro meses de prisão por envolvimento nas escutas telefônicas ilegais do tabloide. 

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou hoje a criação de uma comissão de inquérito independente, em paralelo à apuração policial, para investigar as escutas ilegais praticadas pelo tabloide. A publicação reconheceu que chegou a manipular diretamente casos policiais, incluindo homicídios, para que o assunto continuasse em alta nas manchetes do jornal. 

Nesta manhã, o premiê prometeu que "nada vai ser deixado de lado" sobre o escândalo, que chocou o Reino Unido a tal ponto que o jornal foi obrigado a anunciar, ontem, que encerrará suas atividades a partir de domingo. Cameron prometeu que o inquérito, comandado por um juiz, vai tentar descobrir se houve envolvimento político no escândalo, uma exigência da oposição.

O premiê está sendo criticado por ser muito próximo do magnata australiano Rupert Murdoch, dono do tabloide, e por ter nomeado o ex-editor chefe do NOTW como seu diretor de comunicação. O funcionário, Andy Coulson, já havia pedido demissão em janeiro e nesta manhã foi preso por envolvimento nas escutas ilegais, que tinham 4 mil celebridades e políticos como alvo.

Cameron assumiu sua parcela de responsabilidade no escândalo, ao não ter percebido as manipulações antes. O chefe do governo disse que vai instaurar uma outra investigação para apurar a ética na imprensa.

Vários editorialistas de renome assinam textos nesta sexta-feira pedindo que a credibilidade da profissão seja resgatada, como faz o respeitado The Economist. Já os jornais The Guardian e The Daily Telegraph suspeitam que o anúncio do fechamento do NOTW é parte de uma estratégia empresarial de Murdoch para fortalecer sua posição no mercado local. 

O magnata já tem um terço dos veículos de informação britânicos e passaria a uma posição ultradominante com a aquisição do canal de televisão a cabo BSkyB, uma transação que seria facilitada pelas economias geradas com o fechamento do tabloide. Murdoch também é suspeito de tentar desviar os 2,8 milhões de leitores do NOTW para uma edição dominical do Sun, que também pertence ao magnata, e será lançada em breve.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.