Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 15/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 15/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 15/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Brasil estreia na Copa com goleada sobre a Jamaica e volta triunfal de Cristiane

media Cristiane, de frente, é abraçada pelas companheiras de equipe ao celebrar um de seus três gols contra a Jamaica na estreia do Brasil na Copa do Mundo. REUTERS/Denis Balibouse

A seleção brasileira estreou com o pé direito na Copa do Mundo Feminina de Futebol ao vencer a Jamaica neste domingo (9), em Grenoble, por 3 a 0. Com um hat-trick, a atacante Cristiane foi o grande destaque da equipe e assumiu a vice-artilharia do Brasil em Copas, atrás apenas de Marta.

Enviado especial a Grenoble,

“Estou explodindo de felicidade por este momento”, disse Cristiane após a partida, ao analisar a sua volta e contribuição para a equipe depois de ter ficado de fora dos jogos preparatórios e ter hesitado em voltar à seleção devido à dúvida sobre a total recuperação de uma lesão. “É uma vitória pessoal por tudo o que eu passei. Hoje foi o momento de volta por cima”, declarou a atacante eleita pela Fifa a melhor jogadora da partida.

Com o hat-trick deste jogo de estreia, Cristiane atinge 10 gols em Copa, ultrapassa Sissi com 7, e fica a apenas cinco da maior artilheira da seleção, Marta. Aos 34 anos, a centro-avante se tornou a primeira a marcar gols em três Copas do Mundo distintas (2007, 2011 e 2019)  e com o terceiro,  a mais velha a fazer um hat-trick em um Mundial.

Surpresa com os recordes, ela não escondeu sua emoção, mas estendeu sua celebração a todas as atletas do país. “Estou feliz demais de poder representar todas as meninas que estão no Brasil acompanhando e sonhando com o futebol feminino”.

Comemoração e cautela com o desempenho

Cristiane abriu o caminho da vitória aos 15 minutos, em bela cabeçada. Ela voltaria ainda a marcar  outros dois gols na etapa final, o segundo de dentro da área, aos 5’, e o terceiro, aos 19’, em bela cobrança de falta.

O placar da partida só não foi mais elástico porque o Brasil não concluiu inúmeras oportunidades de gols no ataque, especialmente no primeiro tempo com Debinha e Andressa, que desperdiçou um pênalti defendido pela goleira Schneider.

As jamaicanas poucos levaram perigo ao gol e nas raras oportunidades que tiveram, chutaram para fora ou pararam nas boas defesas da goleira Bárbara. Ela foi uma das mais severas ao analisar o desempenho da seleção em campo, apesar da vitória expressiva. “A gente sabe que não fez um bom jogo. Nossos gols saíram de jogadas trabalhadas. A gente precisa se dar mais (em campo). Mas os três pontos são primordiais”, afirmou.  

O jogo no Stade des Alpes, que tem capacidade para 20 mil pessoas e estava lotado, marcou um novo recorde para meio-campista Formiga. Aos 41 anos, ela comemorou sua sétima Copa do Mundo e, em campo, garantiu a experiência que o time precisava para conter o nervosismo na estreia.

Para a paraense, o resultado foi importante para superar os fracassos nos amistosos da fase de preparação, quando a equipe acumulou nove derrotas. “As derrotas atingiram a nossa confiança. A vitória de hoje aumenta a confiança para o próximo jogo”, diz à RFI.  

Formiga também comentou a falta de Marta, com quem forma um dos pilares históricos da seleção. “Se ela estivesse em campo o placar talvez poderia ser maior, mas nunca se sabe. Ela faz falta em qualquer equipe”.

Do banco de reservas, Marta acompanhou a vitória da seleção e foi fundamental no apoio principalmente às jovens atletas. “Ela nos deu força e incentivou muito principalmente no intervalo”, contou Andressa.

Na volta do intervalo, o Brasil soube aproveitar melhor as oportunidades, na avaliação da lateral Tamires. “Voltamos muito mais concentradas, aproveitando as oportunidades e com uma placar excelente. Queríamos o tempo todo vencer e isso prevaleceu sobre elas”, declarou.  

O treinador Vadão saiu satisfeito com o desempenho da equipe tanto na parte ofensiva quanto defensiva, mas o Brasil precisa melhorar. “O próximo jogo vai ser dificílimo, mas fiquei muito satisfeito com essa estreia”, resumiu.

O próximo jogo do Brasil será na quinta-feira (13) contra a Austrália em Montpellier.  A seleção brasileira lidera o grupo C ao lado da Itália que surpreendeu as australianas e venceud e virada por 2 a 1 no jogo de estreia da chave. 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.