Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Le Monde: “caprichos” e “ataques” fazem Neymar perder cada vez mais fãs

media Depois de negar acusação de estupro, Neymar treina com sua equipe nacional em Teresópolis, Brasil, em 2 de junho de 2019 REUTERS/Ricardo Moraes

A acusação de agressão sexual contra o jogador Neymar continua a ser destaque na imprensa da França, onde o craque é estrela da equipe do Paris Saint-Germain (PSG). O Le Monde publica nesta quarta-feira (5) uma reportagem indicando que, por enquanto, ninguém sabe se “o menino prodígio e turbulento do futebol brasileiro esconde um predador sexual”, mas o fato é que, ano após ano, Neymar perde mais fãs porque o seu comportamento dentro e fora do campo decepciona.

Analistas esportivos ouvidos pela publicação comentam o “terrível desperdício” que se tornou o craque. O jornal escreve que “há meses, ou até anos, aquele que os seus compatriotas apelidaram de ‘Cai Cai’ é mais lembrado pelos casos de sangue, como a agressão de um torcedor descontente no fim de uma partida decepcionante entre o PSG e o Rennes, em abril, ou por suas paixões, como quando enlaçava a cantora Anitta no último Carnaval, do que pelos seus feitos no gramado”. É nesse contexto, nota Le Monde, que aparece esse “gravíssimo” caso de estupro.

A queixa de uma brasileira, que afirma ter tido uma relação sexual não consentida com o astro em Paris, foi oficializada na última sexta-feira (31), em São Paulo. O casal diverge sobre o que teria acontecido em um quarto de hotel da capital francesa. A moça afirma que, por estar embriagado, Neymar teria se tornado agressivo, enquanto ele argumenta que “nada demais” aconteceu.

Um acordo financeiro teria sido tentado entre advogados das duas partes e, segundo Le Monde, foi no momento de se defender publicamente que o craque “derrapou”. “Consciente dos riscos à sua reputação, aos patrocínios e à sua carreira”, o jogador publicou uma série de mensagens e fotos trocadas com a mulher, imaginando que a conversa atestaria a sua inocência. Porém, ao divulgar “conteúdo inapropriado” na internet, terá de dar mais explicações à Justiça, desta vez no Rio de Janeiro.

Os estragos são tantos que até a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não garante que o jogador poderá participar da Copa América, como previsto. O diário esportivo francês L’Equipe dá destaque às declarações do vice-presidente da CBF Francisco Novelotto, que disse que, “se tivesse que apostar, apostaria que ele não virá” à competição, por causa do impacto emocional do caso e eventual repercussão em campo.

“Num país onde uma mulher é estuprada a cada 15 minutos”, assinala o Le Monde, a reação do jogador “despertou as paixões e inflamou as críticas”, principalmente de organizações feministas, que denunciam a culpabilização da vítima, uma atitude comum nos casos de agressão sexual.

A publicação ressalta que a Justiça dirá se Neymar é culpado ou inocente. Mas observa que, desde já, “a sua estrela brilha menos”, uma “imagem estragada por seus caprichos, seus ataques de raiva e seus problemas com o fisco”.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.