Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 12/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 12/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 12/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 12/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 12/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 11/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 11/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Roland Garros atrai turistas brasileiros, mas tenistas do país decepcionam

Roland Garros atrai turistas brasileiros, mas tenistas do país decepcionam
 
Os irmãos Marcos (à esq.) e Milton Borato Viana realizaram o sonho de conhecer Roland Garros. RFI/Elcio Ramalho

Roland Garros 2019 não deixará saudades para muitos brasileiros. Todos os tenistas do país na disputa simples e de duplas masculinas já estão fora do torneio. A esperança pode estar na categoria de duplas mistas, com Bruno Soares, e na competição juvenil. A promessa do tênis brasileiro Mateus Alves venceu neste domingo (2), na primeira rodada, o tcheco Dalibor Svrcina por 2 sets a 0 (7/5 e 6/4).

No torneio de simples, Thiago Monteiro, passou pelo qualifying mas caiu na primeira rodada para o croata Dusan Lajovic. Derrota de 3 sets a 0 (6/3,6/4 e 6/4).

As expectativas se voltaram para as duplas masculinas. Eram três representantes do país. Bruno Soares e o britânico Jammie Murray não passaram da terceira rodada, Marcelo Demoliner e o indiano Divij Shaban caíram na segunda rodada. A última esperança, Marcelo Melo, também disse adeus ao torneio. Ele e o polonês Lukasz Kubot foram eliminados pela dupla francesa Jéremy Chardy et Fabrice Martin por 2 sets a 1 (7/5,2/6 e 3/6).

Na saída de quadra, Marcelo Melo lamentou ter deixado o torneio tão cedo, na terceira rodada, assim como no ano passado. O tenista mineiro, que foi campeão do torneio de duplas em 2015 em Roland Garros com o croata Ivan Dodig, comenta que apesar de o Brasil não ter tido nos últimos anos destaques no torneio de simples, o Grand Slam francês continua sendo um dos favoritos para os brasileiros.

Turistas brasileiros

Os irmãos Marcos e Milton Borato Viana planejaram uma viagem a Paris por turismo para coincidir com a época do torneio francês. Pela primeira vez conheceram o famoso complexo de Roland Garros e realizaram um sonho.

“Aqui nasceu praticamente o tênis, é um dos quatro grandes do ano e nos parece o mais simpático, e onde os brasileiros tiveram destaque maior”, justifica Milton.

Após a eliminação de Marcelo Melo, ele comenta que “o Brasil nunca teve uma boa fase, teve um expoente chamado Guga Kuerten e depois disso, outros não apareceram ainda. E é difícil aparecer, porque não é da nossa cultura de praticar tênis.”

Além dos irmãos Boratto Viana, outros brasileiros torceram nas arquibancadas por Marcelo Melo no sábado e saíram frustrados com a derrota do brasileiro. O administrador de empresas Vinícius Moreira, veio de Belo Horizonte. Fã de tênis, ele realizou o sonho de ver de perto os jogos de Roland Garros.

Para Vinícius, o Brasil também não brilha no torneio de simples desde o tricampeonato de Guga em Paris (1997,2000 e 2001), mas tem outros campeões, Bruno Soares e Marcelo Melo nas duplas masculinas, vencedores de Grands Slams e de muitos outros títulos. O mineiro avalia que essas conquistas não têm o reconhecimento devido por parte dos brasileiros. “Não estão surgindo revelações no simples, mas nas duplas temos o Bruno e o Marcelo. Os brasileiros deveriam valorizar mais”, diz.

Visibilidade do torneiro de duplas cresce

Marcelo Melo, que já conquistou além do Grand Slam de Paris em 2015, o de Wimbledon em 2017 e se tornou o primeiro brasileiro a ser o número 1 do ranking de duplas, diz que o reconhecimento está evoluindo, mas ainda não como deveria.

Marcelo Melo disse adeus a Roland Garros neste sábado, 1° de junho de 2019. RFI/Elcio Ramalho

"A visibilidade da simples é muito maior que a de duplas, hoje em dia muito mais valorizado do que quando comecei. Hoje o país (Brasil) não tem um jogador de simples que vem jogando o mesmo nível que eu e o Bruno jogamos. É difícil falar em duplistas e simplista, é tudo tênis", destaca.

O tenista mineiro diz que “hoje tem muito mais jogos de duplas transmitidos pela televisão, isso acaba valorizando mais. Brasileiros querem assistir mais, tem mais gente nas quadras, somos mais reconhecidos no país, vem aumentando, mas ainda está aquém. Mas é uma bola de neve que a gente espera crescer ainda mais, tanto para as duplas quanto para a simples, o que ajuda a fomentar o tênis. Se a gente conseguir motivar as pessoas a jogar, isso é o mais importante para nós.”

Marcelo Melo disse adeus a Roland Garros, mas Bruno Soares continua na disputa do torneio de duplas mistas. Ele e a americana Nicole Melichar avançaram para a terceira rodada do torneio de Roland Garros.


Sobre o mesmo assunto

  • Roland Garros/Tênis

    Tenista n° 1 do mundo é eliminada de Roland Garros

    Saiba mais

  • Esportes

    Roland Garros tem estreia de quadras e apenas um brasileiro na briga pelo título de 2019

    Saiba mais

  • Tênis/Roland Garros

    Em lágrimas, Rafael Nadal celebra seu 11° troféu de campeão Roland Garros

    Saiba mais

  • Esportes

    Foco, confiança e boa noite de sono deram a Simona Halep o sonhado troféu de Roland Garros

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.