Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

PSG de Neymar renova com atacante brasileira Formiga: “lenda viva do futebol”

media A atacante brasileira Formiga, recordista em Copas do Mundo e Olimpíadas, é a capitã do PSG e renovou contrato com o time francês até 2020. Divulgação

O nome na cédula de identidade é Miraildes Maciel Mota, mas a jogadora brasileira é conhecida nos gramados do mundo inteiro pelo apelido de “Formiga”. Soteropolitana, ela renovou nesta quinta-feira (2) seu contrato até 2020 com o Paris Saint-Germain (PSG), o time de Neymar. Aos 41 anos, ela é a atual capitã do time parisiense, no qual dá início à sua 26ª temporada profissional no futebol feminino. Atual estrela do PSG, ela conheceu uma trajetória difícil no Brasil, com pitadas de machismo, racismo e violência.

Em 2015, na Copa do Mundo no Canadá, ela se tornou aos 37 anos, 3 meses e 6 dias a jogadora mais velha a marcar um gol nas finais. Neste verão no Hemisfério Norte, a brasileira quebrará um recorde ao participar de sua sétima Copa do Mundo na França, 24 anos depois de sua primeira seleção. Ainda no currículo, ela traz a distinção de ser a única jogadora a ter disputado seis jogos olímpicos, tendo conquistado duas medalhas de prata. O PSG anuncia Formiga como o grande destaque desta temporada: “uma lenda viva do futebol”.

Ao lado de Marta, atacante brasileira seis vezes vencedora do título de melhor jogadora do mundo, Formiga forma a dupla de ouro do ataque da Seleção Brasileira feminina de futebol, que disputa em 2019 na França a Copa do Mundo. O apelido foi dado por um torcedor quando ela tinha apenas 12 anos, ainda no subúrbio de Salvador, onde Formiga nasceu. Embora não tenha gostado do nome no primeiro momento, a designação lhe caiu como uma luva: a jogadora é conhecida por correr o campo inteiro, dando assistências preciosas às companheiras.

Formiga é a jogadora que por mais tempo serviu à Seleção Brasileira. Foi tricampeã dos Jogos Pan-Americanos (Santo Domingo em 2003, Rio de Janeiro em 2007 e Toronto em 2015) e duas vezes vice das Olimpíadas (Atenas 2004 e Pequim 2008). Teve passagens por clubes dos Estados Unidos e Suécia. Pelo São José EC, conquistou o mundial de clubes em 2014 e foi tricampeã da Libertadores (2011, 2013 e 2014).

Jogadores como Neymar, Marquinhos e Marta fazem homenagem à Formiga neste vídeo divulgado nesta quinta-feira (2) pelo PSG:

"Estou muito feliz por assinar mais um ano com o Paris Saint-Germain", disse Formiga após a renovação do contrato. É um sonho tornado realidade, estou muito feliz em saber que o clube acredita no meu futebol, isso é muito importante para mim.  Eu ainda quero ganhar títulos e ajudar minhas parceiras por meio da minha experiência", declarou a jogadora brasileira.

Para Bruno Cheyrou, diretor-geral da equipe feminina do PSG, "É uma honra para o clube poder contar com Formiga na próxima temporada". “É uma lenda do futebol, e apesar de sua idade, a brasileira ainda tem todas as qualidades para fazer parte do grupo parisiense na próxima temporada. Além de seu talento, Formiga é uma jogadora experiente, dentro e fora do campo", concluiu.

História de superação

A trajetória da baiana, no entanto, não foi fácil. Pobre, negra e no meio de uma sociedade essencialmente machista, Formiga chegou a apanhar dos irmãos quando começou a se destacar, ainda criança, nas peladas de futebol. O contexto nada favorável não abalou sua determinação, e aos 15 anos de idade ela foi considerada revelação do campeonato brasileiro de futebol, fato que influenciou diretamente na sua subsequente convocação para a Seleção.

Homenageada em 2015 por sua trajetória, a atleta foi a primeira jogadora, juntamente com Marta, a integrar a Sala Anjos Barrocos no Museu do Futebol, que até então era somente composta por homens, ao lado de jogadores como Pelé, Garrincha e Ronaldo.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.