Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 15/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 15/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 15/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 15/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 15/11 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 11/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 11/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

“Juiz ladrão”: Serena Williams perde a cabeça durante US Open e leva multa de US$ 17 mil

media Serena Williams grita com o árbitro durante final do US Open em 8 de setembro de 2018. Danielle Parhizkaran-USA TODAY SPORTS

Serena Williams foi multada em US$ 17 mil neste domingo (9) por três advertências que recebeu na final do Aberto dos Estados Unidos de sábado (8), marcada por sua ira contra o árbitro, que insultou de "ladrão", segundo os organizadores do torneio.

Durante a final perdida contra a japonesa Naomi Osaka (6-2, 6-4), a tenista norte-americana foi advertida por "coaching", "quebra da raquete" e depois "insulto". A primeira advertência vai lhe custar US$ 4.000, a segunda, US$ 3.000 e a terceira, mais grave, US$ 10.000.

Tudo começou quando Serena recebeu a primeira advertência, no início do segundo set, em 1-0, 40-15, com serviço de Osaka. Continuou com uma pesada discussão em vários momentos com o árbitro português Carlos Ramos, quando subia o tom, cada vez mais.

"Eu não roubo para ganhar, eu ainda prefiro perder", defendeu a mais jovem das irmãs Williams (36). "É inacreditável, eu não recebi nenhum ‘coaching’, eu nunca trapaceei em minha vida, você me deve um pedido de desculpas", disse Serena, indignada.

"Mentiroso"

Foi depois de uma segunda advertência por ter destruído sua raquete depois de ter seu serviço quebrado pela japonesa, o que lhe valeu um ponto de penalidade, que Serena saiu do sério. "Você me ataca, você está errado, você nunca mais será árbitro de uma das minhas partidas, você me deve um pedido de desculpas, você é mentiroso", disse.

"Você é um ladrão, você roubou um ponto", continuou. Foi então que o árbitro português infligiu uma terceira advertência, uma rara sanção nesse nível do tênis mundial. Dois matches depois, a estrela norte-americana viu seu sonho de conquistar o recorde absoluto em títulos de Grand Slam (24) voar para longe. "Ele supõe que eu trapaceei e não trapaceei", disse ela em entrevista coletiva pouco depois da partida.

"Decisão sexista"

"Ainda não tive tempo de digerir tudo isso", disse a estrela do tênis mundial. "Foi uma decisão sexista, eu não trapaceei. Esse árbitro nunca infligiu esse tipo de penalidade a um homem que o tenha chamado de ladrão", afirmou aos jornalistas. Quando perguntada sobre o fato de que seu técnico, Patrick Mouratoglou, havia confirmado lhe ter dado um conselho durante a partido ("coaching"), ela se defendeu dizendo que havia acabado de "enviar a Patrick uma mensagem para saber do que se trata". 

"Não temos códigos, sinais. Nunca falamos disso. Mesmo quando posso, nunca chamo meu técnico na quadra. Uma das coisas que eu amo sobre o tênis é poder estar sozinha na quadra", disse a tenista norte-americana. Sobre a adversária japonesa, Serena disse que ela "jogava verdadeiramente bem" e que ela sabia que "teria que fazer muito" para "mudar os rumos do jogo".

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.