Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/07 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Croatas falam em revanche contra a França na final da Copa

media Torcedores franceses e croatas se encontram em clima amistoso no estádio Luzhniki, em Moscou. Foto: RFI Brasil

Na saída do estádio Luzhniki, no metrô e nas ruas da capital russa, centenas de torcedores croatas expressaram com cantos e gritos de guerra a alegria de um feito inédito.

A vitória de virada por 2 a 1 sobre a Inglaterra, com um gol na prorrogação depois do empate no tempo normal, fez a equipe entrar para a história. Pela primeira vez, a Croácia irá disputar a final de uma Copa do Mundo.

Foi sofrido, mas merecido, segundo os torcedores. “Tivemos mais chances, jogamos um pouco melhor e merecemos essa vitória. É histórico, depois de 1998, isso ainda é maior e desta vez vamos ganhar”, diz, confiante, Christian.

Os croatas já falam em revanche. Na Copa de 1998, a seleção francesa venceu a Croácia na semifinal e ficou com o título após derrotar o Brasil no Stade de France.

“Nós perdemos 20 anos atrás contra a França nas semifinais da Copa. Se ganharmos desta vez, toda a Croácia vai pegar fogo”, prevê um torcedor vestido com a camiseta quadriculada vermelha e branca do time.

Muito franceses que vieram ao estádio ver a partida e conhecer o futuro adversário saíram decepcionados e não falam em revanche.

“Não tem espírito de revanche, nós já disputamos outra final depois daquela de 1998. Gostaria de ter enfrentado a Inglaterra por termos mais rivalidade com eles do que contra os croatas, mas vai ser um bom jogo e temos mais chances de ganhar”, declarou Stephan, que veio de Saint-Etienne, sudeste da França para o Mundial.

Os croatas podem contar com a torcida de muitos brasileiros que circulam por Moscou. “A Croácia é um time que chegou por fora, temos que torcer muito. Nós somos fregueses da França, não dá para torcer. Temos que torcer para os croatas. É hora de festa”, disse Ricardo Squilacci, abraçado com torcedores da Croácia nos arredores do estádio.

França e Croácia se enfrentam no próximo domingo (15) às 18h pelo horário local, 12h pelo horário de Brasília.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.