Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/07 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 15/07 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 15/07 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Brasil perde da Bélgica e diz adeus à Copa do Mundo

media Brasileiros desconsolados depois da eliminação para a Bélgica. REUTERS/Toru Hana

A seleção brasileira perdeu da Bélgica por 2 a 1 na noite desta sexta-feira (6) na Arena Kazan e foi eliminada do Mundial da Rússia. Com a vitória, os belgas enfrentam a França na fase semifinal.

Do enviado especial a Kazan,

Diante do melhor ataque da competição, a seleção brasileira contava com a solidez da sua defesa para evitar as investidas dos Diabos Vermelhos. Os adversários entraram com mudanças em relação ao jogo anterior, com Fellaini no meio campo e Chadli na esquerda.

A estratégia montada pelo treinador Tite se mostrou insuficiente para conter a equipe que mostrou mais uma vez habilidade para contra-ataques e variações de jogadas, além de contar com um meio-campo bem organizado.

Fernandinho, que tinha a difícil tarefa de substituir o volante Casemiro e proteger a defesa, foi o responsável pelo primeiro gol belga, aos 13 minutos. Um escanteio batido pela esquerda e o meio campista errou a cabeçada, com a bola batendo no seu ombro e enganando o goleiro Alisson.

A seleção brasileira, insistindo basicamente pela esquerda com Neymar, encontrava dificuldades em criar jogadas. Gabriel Jesus e Wiliam também se mostravam impotentes diante dos zagueiros belgas.

À frente no placar, a Bélgica continuou apostando na rapidez de seu contra-ataque e, depois de várias ações ofensivas perigosas, chegou ao segundo gol, aos 37 minutos, com Kevin De Bruyne. Eleito melhor jogador da partida, o número 7 acertou um belo chute cruzado da direita.

Melhor no segundo tempo

Com uma alteração para o segundo tempo, a entrada de Firmino no lugar de William, a seleção brasileira foi para o ataque. Entrou em ação um novo plano tático, com Gabriel Jesus atuando mais pela direita. Mas a seleção tinha dificuldades de chegar ao gol de Courtois.

A Bélgica continuava contando com a força física e a técnica de seus atacantes. O centro-avante Lukaku deu muito trabalho para Miranda e Eden Hazard, se movimentando muito, também perturbou a zaga brasileira.

Tite ainda fez duas alterações para tornar a equipe mais ofensiva, com a entrada de Douglas Costa no lugar de Gabriel Jesus. O Brasil passou a ter mais variações, mas sem eficiência. A terceira mudança na equipe foi a que deu o melhor resultado. Renato Augusto, lançado  em profundidade por Coutinho, diminuiu o placar aos 31 minutos com um bela cabeçada fora do alcance do goleiro belga.

Minutos mais tarde, Renato Augusto teve uma grande oportunidade diante de Courtois, mas chutou para fora. O Brasil ainda teve nova chance com Coutinho, depois de uma assistência de Neymar, mas o meia atacante chutou para fora. A última ocasião para tentar o empate veio com Neymar com um belo chute de fora da área, mas o goleiro belga espalmou para fora.

No apito final, a imensa decepção dos brasileiros em campo, enquanto os belgas comemoravam a segunda passagem na sua história para as semifinais de uma Copa.

“Estamos muito orgulhosos da concentração, do jogo que fizemos, e da vitória sobre o Brasil”, resumiu o treinador Martinez após a partida.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.