Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 24/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 24/09 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 23/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 23/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Neymar exagera mas é um jogador grandioso e de imenso talento, exalta imprensa francesa

media Neymar, no centro, abriu o marcador para o Brasil frente ao México. REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

"Neymar ressuscita e o Brasil acelera", diz a manchete do jornal Le Parisien depois da vitória por 2 a 0 da Seleção Brasileira contra o México nas oitavas de final da Copa da Rússia. Polêmicas à parte, a imprensa francesa elogia o desempenho do camisa 10.

O Brasil vai enfrentar a Bélgica logo depois da França pegar o Uruguai, na sexta-feira (6), numa partida "excitante", acrescenta Le Parisien, prevendo "um dia abençoado" para o futebol mundial.

A defesa belga demonstrou muitas falhas contra o Japão, o que não é um bom cartão de visitas para as quartas de final, comenta Le Parisien. Para o diário, o Brasil está "impressionante" em campo e começa a corresponder à imagem de país favorito nesta Copa do Mundo. "A cada jogo, o Brasil avança e parece consciente de sua força, uma seleção construída para durar", elogia a reportagem. Em dois anos, Tite conseguiu fazer o Brasil retornar à sua essência, que é manter um padrão ofensivo, marcar gols, mantendo uma defesa equilibrada, que só tomou um gol até agora, destaca o diário.

Sobre a polêmica entre o técnico mexicano Osorio e Neymar, Le Parisien demonstra ter aprovado a declaração do atacante em que ele diz: "os mexicanos falaram muito, mas voltam para casa". "O mata-mata acendeu o desejo de conquista de Neymar." O único "bemol" para o Brasil no jogo contra Bélgica é a suspensão de Casemiro, que será provavelmente substituído por Fernandinho, afirma o Le Parisien.

Zagueiro belga do PSG diz que não sabe como marcar Neymar

Ao canal de TV beIN, que transmite os jogos na França conjuntamente com o TF1, o zagueiro belga Thomas Meunier diz que o confronto com o Brasil "vai ser um cartaz excepcional", uma espécie de "agora ou nunca para a nação belga, para mostrar que temos o talento e uma geração de ouro". Meunier joga ao lado de Neymar no PSG: "Não posso dizer que sei marcá-lo, ele muda seu jogo o tempo todo". "Se eu tivesse 10 anos, eu teria um cartaz de Neymar no meu quarto", brinca o zagueiro.

O comentarista da rádio Europe 1 observou que a participação de Neymar contra o México "é um resumo da carreira do jogador". De um lado da moeda, se viu o "autor de gols, capaz de jogadas de grande classe e uma influência decisiva em sua equipe e no destino do jogo". Mais uma vez, "no auge de seu imenso talento". Do outro lado, na face oculta da moeda, "o camisa 10 parece uma estrela arrogante, capaz de maltratar os árbitros, os adversários e até mesmo seus próprios companheiros de equipe", estima a rádio Europe 1.

"Excepcional, raro, grandioso"

O jornal Ouest France, que tem a maior tiragem nacional, reconhece que Neymar exagera quando cai em campo. Mas destaca que ele é o jogador que levou mais faltas no Mundial até agora: 22 em quatro jogos.

Segundo Ouest France, o jogo de Neymar é feito de "drible, velocidade, fintas, provocação". "Seu talento puro" lhe dá uma grande facilidade para eliminar seus oponentes, o que pode agravar o contexto de uma partida. Especialmente quando o número 10, "com sua propensão a exagerar, não faz nada para acalmar as coisas". "Neymar é um jogador excepcional, raro e grandioso. Não há necessidade de se tornar motivo de risada no mundo, principalmente por causa de um comportamento absurdo e inadequado", conclui Ouest France.

L'Equipe, o maior jornal esportivo francês, critica o atacante: "Ele faz cena. Era preferível que jogasse futebol", rebate com dureza o L'Equipe "Seria melhor ele não mentir", ironiza o diário, em referência ao fato de Neymar ter dito que estava na Copa para jogar futebol e ajudar a Seleção Brasileira a vencer a competição.

A revista France Football, que chegou às bancas nesta terça-feira (3), encontrou o herdeiro de Pelé nesta Copa: é o francês Mbappé. "Ousado e brilhante em suas arrancadas, como o rei Pelé, sessenta anos atrás", afirma envaidecida a France Football.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.