Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/08 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 12/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 12/08 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Em lágrimas, Rafael Nadal celebra seu 11° troféu de campeão Roland Garros

media O espanhol Rafael Nadal se emocionou ao vencer, pela 11ª vez, a final do torneio de Roland Garros. REUTERS/Benoit Tessier

O tenista número 1 do mundo, Rafael Nadal, conquistou neste domingo (10) seu 11° título no torneio de Roland Garros, batendo o austríaco Dominic Thiem (8º) em três sets, pariciais de 6-4, 6-3 e 6-2.

Do torneio de Roland Garros

Os adversários se sucedem, mas o roteiro segue o mesmo desfecho: Rafael Nadal continua invencível em finais de Roland Garros. Agora foi a vez do austríaco Dominic Thiem ser dominado pelo espanhol, que ampliou seu impressionante recorde de títulos erguidos no saibro parisiense. Faltam agora apenas três títulos em torneios do Grand Slam para Nadal alcançar o recorde do suíço Roger Federer, que possui 20 troféus nesta categoria.

Ovacionado ao receber o troféu "Os Mosqueteiros", ele não conteve a emoção no palco do torneio que o consagrou. ​​​​Ainda em quadra, ao ser questionado sobre seu 11° título em Roland Garros, Rafa resumiu: “É incrível, estou muito feliz”. Elogiando a garra do seu adversário na final, confessou ter feito seu melhor jogo do torneio.

O espanhol agradeceu ao público que lotava as arquibancadas pelo apoio. Nadal disse que era muito difícil expressar em palavras o que estava sentindo com esta nova conquista, mas garantiu que o título francês é muito importante para a continuidade de sua carreira.

Criança, Thiem já era fã de Nadal

Já Dominic Thiem declarou após o jogo que fez o melhor que pôde, mas entendeu durante o jogo porque Nadal havia conquistado dez vezes a final: "Ele é muito forte", disse o austríaco. Ao receber seu prêmio, Thiem arrancou risos da plateia ao lembrar que tinha 11 anos quando viu Nadal disputar sua primeira final de Roland Garros e nunca imaginou que disputaria o troféu contra o ídolo.

No entanto, aos 24 anos, o austríaco era considerado um dos poucos a conseguir rivalizar atualmente com Nadal no piso de terra batida. Desde a vitória contra o espanhol nas quartas-de-final no torneio de Madri, há cerca de um mês, Thiem criou uma grande expectativa de conseguir também surpreender o espanhol no Aberto da França.

Desde o início do confronto, no entanto, Nadal mostrou que o desafio era grande demais para o jovem oponente, presente pela primeira vez na final de um Grand Slam. O espanhol começou a trilhar o caminho da vitória com quebra de saque do adversário. Thiem, oitavo do ranking mundial, resistiu como pode, apostando em bolas longas no fundo de quadra, mas acumulou erros e falhou em momentos decisivos, perdendo por 6/4.

No set seguinte, o espanhol manteve sua agressividade e mais uma vez não deu chances para o austríaco, fechando em 6/3. Sem oferecer muita resistência no terceiro set, Thiem se  rendeu à evidência de que Nadal não deixaria margem para nenhum suspense. Mais uma vez se mostrando imbatível, Nadal fechou o set em 6/2 para liquidar a partida em 2h42.

Trajetória

Nadal chegou à batalha final tendo concedido apenas um set durante o torneio, para o argentino Diego Schwartzmann. Thiem sofreu um pouco mais no seu percurso parisiense, com vitórias mais desgastantes contra o grego Stefanos Tsitsipas, o jovem italiano Matteo Berrettini e o japonês Kei Nishikori. Mas embalou nas quartas de final passando pelo alemão Alexancer Zverev e, na semi, pela revelação do torneio, o italiano Marco Cecchinato.

Com o resultado, Rafael Nadal, 32 anos, não apenas mantém seu título do torneio francês, como segue no topo do ranking mundial. Esse foi o 17° titulo de Grand Slam na carreira do espanhol.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.