Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/08 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 13/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 13/08 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Últimas notícias
  • Dois mortos e seis feridos em ataque a faca na Finlândia
Esportes

"Continuei acreditando, sonhando e aqui estou", diz Federer após vencer em Wimbledon

media Suíço Roger Federer beija o troféu após vencer a final em Wimbledon contra o croata Marin Cilic, em 16 de julho de 2017 REUTERS/Andrew Couldridge

O suíço Roger Federer acrescentou mais um título em sua espetacular carreira, neste domingo (16), ao conquistar o torneio de Wimbledon pela oitava vez, depois vencer o croata Marin Cilic por três sets a zero, parciais 6-3, 6-1 e 6-4.

Com a oitava vitória em Wimbledon, Federer chegou ao 19º título de Grand Slam na carreira. Ele se tornou o maior vencedor no gramado de Londres, superando o americano Pete Sampras, com 7 troféus.

"Continuei acreditando, sonhando e aqui estou", comentou Federer após receber em mãos a famosa taça dourada do torneio.

É o segundo título de Grand do suíço nesta temporada, depois de vencer o Aberto da Austrália, em janeiro. A vitória em Wimbledon quebra um hiato de cinco anos desde o último título no All England Club. "É preciso acreditar que se pode chegar nesta altura. Depois do último ano, não sabia se voltaria a estar aqui", comentou o suíço após eliminação para o canadense Milos Raonic nas semifinais de 2016. Federer não conteve as lágrimas ao final do duelo.

"Espero que este não seja meu último jogo aqui. Quero voltar ano que vem", afirmou o campeão, que aos 35 anos e 342 dias, é o jogador mais velho a vencer em Wimbledon na era profissional.

Um jogo com suór e lágrimas

Federer garantiu a hegemonia em sua superfície preferida, em 1 hora e 41 minutos de partida. O suíço não perdeu nenhum set em toda competição, repetindo feito de 10 anos atrás.
 
A final contra Cilic, vencedor do US Open de 2014, teve um momento delicado durante a partida. Cilic, apesar da experiência, começou a chorar quando perdia o segundo set por 3 a 0.

O tenista croata pediu atendimento médico, apesar de não sofrer nenhuma torção ou queda. Os médicos tentaram reanimar o jogador, mas não o examinaram. Cilic pediu uma segunda intervenção, quando os médicos observaram seu tornozelo esquerdo.

O início da queda do croata aconteceu no quarto game do primeiro set, quando vencia por 2 a 1. Cilic teve a chance de quebrar o serviço de Federer, mas não conseguiu definir. A chance desperdiçada foi decisiva, já que acabou perdendo a potência no saque.

Cilic, que tinha uma média de 21 aces por jogo até a decisão, falhou mais da metade dos primeiros serviços e não conseguiu nenhum ace em todo primeiro set, que acabou 6-3 para o suíço.

O ritmo se manteve no segundo set. Depois de se recompor do lapso quando perdia por 3 a 0, o crota tentou se recuperar, mas Federer entendeu que bastava administrar as emoções para dominar a partida até o final.

"Tive uma trajetória assombrosa, jogando o melhor tênis da minha vida. Para todos os meus amigos na Croácia deve ter sido um dia difícil. Eu dei tudo. Espero voltar e tentar outra vez", afirmou o tenista, sexto no ranking ATP.

(AFP)   
   

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.