Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Após vitória histórica, Thiago Monteiro quer jogar sem pressão contra Monfils

media Thiago Monteiro venceu em sua estreia em Roland Garros contra o francês Alexander Muller, em 30/05/17. Foto: Pierre René-Worms

Roland Garros ficará marcado na história de Thiago Monteiro como sua primeira vitória em um Grand Slam. Ao superar o francês Alexander Muller por 3 sets a 1, o cearense contribuiu para a quebra de um tabu para o tênis brasileiro. É a primeira em 14 anos que três tenistas do país avançam para a segunda rodada de um Grand Slam.

O primeiro confronto no saibro parisiense foi um desafio inédito para o jovem tenista que completa 23 anos nesta quarta-feira (31). Na véspera do aniversário, deu a si mesmo um grande presente. “Estou muito feliz com minha primeira vitória em Grand Slam, sabia que não ia ser fácil, mas saio com boa confiança para a próxima partida”, afirmou no final da partida contra Muller.

A estreia do brasileiro, número 95 do ranking, foi contra um jogador com quem nunca havia se confrontado. No entanto, sabia de suas características por outro tenistas brasileiro, Rogerio Dutra Silva, que enfrentou o francês duas semanas antes.

Depois de um início de partida muito equilibrado, só vencido por Monteiro no tie break 7/6 (7-4), o brasileiro teve uma queda de rendimento nos dois sets seguintes, perdidos por 6/2 e 6/4. “No começo ele teve algumas chances, eu também tive as minhas. Consegui conquistar o primeiro set, mas depois ele impôs um bom ritmo de jogo”, explicou.

“Foi um jogo difícil, era um jogador da casa, jogou totalmente sem pressão, com apoio da torcida. Ele conseguia subir o nível quando ele a torcida dava energia, mas me mantive forte”, destacou.

Thiago precisou também do tie break para fechar o quarto set por 7/6 (7-3), antes de arrasar o adversário no set decisivo por 6/0. “Eu procurei não sentir essa pressão da torcida contra, que o incentivava durante todo o jogo. Procurei estar concentrado em cada ponto e no que tinha que fazer. Mas também contei com a torcida brasileira. Muitos brasileiros estavam ali no final do jogo”, lembrou.

O cearense disse ter dedicado a vitória à tenista Beatriz Haddad Maia, que completou 21 na terça-feira (30) e esteve na torcida o incentivando. A carioca foi eliminada na primeira rodada do torneio feminino com derrota para a russa Elena Vesnina.

Com a conquista histórica, Monteiro se juntou a Rogerinho e Thomaz Bellucci na segunda rodada. Desde 2003, no torneio de Wimbledon, com as estreias vitoriosas de Andre Sá, Gustavo Kuerten e Felipe Saretta, o Brasil não tinha três tenistas na segunda rodada de um Grand Slam.

Pressão sobre Monfils

Satisfeito com o feito, Thiago Monteiro quer aproveitar esta quarta-feira para ajustar “alguns pontos” antes de pegar outro francês, Gael Monfils, na próxima rodada. “Eu vou tentar jogar meu melhor jogo contra um jogador renomado como o Monfils. Aproveitar esta experiência, procurar jogar solto, tirar a pressão e jogar para o lado dele”, diz.

“Ele que tem obrigação de ganhar, já que é o anfitrião. Vou buscar ficar o mais tempo na quadra, impor meu jogo e acreditar até o final na vitória que é possível”, concluiu.

Com colaboração de Marcos Martins.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.