Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 13/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 13/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 13/12 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 13/12 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 13/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 13/12 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 09/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 09/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

CBF é visada em operação que prendeu ex-presidente do Barça na Espanha

media O ex-presidente do FC Barcelona Sandro Rosell foi detido nesta terça-feira, 23 de maio de 2017, pela polícia espanhola. REUTERS/Albert Gea/File Photo

O ex-presidente do FC Barcelona Sandro Rosell foi detido nesta terça-feira (23), pela polícia espanhola, por suposta lavagem de € 15 milhões de direitos de transmissão da seleção brasileira. O esquema teria a participação do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira, que teve um mandado de prisão emitido contra ele. A operação, batizada de Jules Rimet, acontece principalmente na região da Catalunha e provocou ao todo a detenção de cinco pessoas, afirmou uma fonte da Polícia Nacional.

A operação Jules Rimet "investiga um delito de lavagem de dinheiro, através da cobrança de comissões ilícitas pelos direitos audiovisuais da seleção brasileira de futebol", informou um comunicado da Guarda Civil espanhola. De acordo com uma fonte ligada à investigação, os cartolas Rosell e Teixeira teriam desviado ao longo de vários anos quase € 15 milhões, o equivalente a R$ 55 milhões, dos contratos de direitos de TV da seleção brasileira.

O dinheiro saía do Brasil para uma conta de uma empresa do Catar na Suíça e de lá era transferido para uma empresa de Sandro Rosell em Andorra, pequeno principado entre Espanha e França, que já foi considerado um paraíso fiscal.

O ex-presidente do Barça e Teixeira, presidente da Confederação Brasileira de Futebol de 1989 até 2012, dividiam a maior parte das comissões. Teixeira e o ex-sogro João Havelange, presidente da Fifa de 1974 a 1998, estavam envolvidos no escândalo dos subornos pagos pela empresa de marketing ISL aos dirigentes da entidade máxima do futebol para obter contratos de direitos de transmissão. As suspeitas de corrupção o levaram a renunciar ao cargo na CBF em 2012 e atualmente está sendo investigado por corrupção pela justiça americana.

Operação internacional

A Guarda Civil e a Polícia Nacional espanholas estão envolvidas na operação, que realiza ações de busca em residências e sedes de empresa em Barcelona, Girona e Lleida, na região da Catalunha, e também em Andorra. Diante dos jornalistas, agentes retiravam caixas com documentos da residência de Rosell em um bairro de luxo de Barcelona. A mulher do cartola também foi detida nesta terça-feira.

A Jules Rimet foi ordenada por um tribunal da Audiência Nacional em Madri, alta jurisdição responsável por casos financeiros complexos e investigações internacionais. Na quinta-feira (25), Rosell, a esposa Marta Pineda e os demais detidos prestarão depoimento a um juiz de instrução. O caso permanece sob sigilo de sumário.

Ex-diretor da Nike no Brasil

Sandro Rosell, empresário de marketing esportivo, foi diretor da multinacional Nike no Brasil e negociou o contrato com a CBF para que a empresa americana se tornasse a fornecedora de material esportivo da seleção. Em 2010, ele foi eleito presidente do FC Barcelona, sucedendo o carismático Joan Laporta, de quem foi braço direito antes de virar seu grande inimigo.

O mandato durou quatro anos, até sua renúncia, em janeiro de 2014, pouco depois de ser acusado por suposta fraude fiscal na complicada contratação de Neymar pelo Barça em 2013. Rosell foi inocentado após um acordo entre a diretoria do Barça e a justiça para que a pena fosse assumida pelo clube como pessoa jurídica.

Apesar do acordo, o cartola será julgado por fraude e corrupção em outro processo, iniciado pelo fundo de investimentos brasileiro DIS, que foi dono de parte dos direitos de Neymar e se considera prejudicado pela operação de contratação o brasileiro. Este caso também envolve Neymar, o pai do jogador, o atual presidente do Barça, Josep Maria Bartomeu, e o ex-presidente do Santos Odilio Rodrigues Filho.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.