Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 24/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 24/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 24/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 24/11 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 24/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 24/11 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 19/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 19/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Handebol: uma paixão francesa

Handebol: uma paixão francesa
 
Troféu do Campeonato do Mundo de Handebol exibido antes do jogo de estreia entre França e Brasil. REUTERS/Charles Platiau

Um ginásio em plena ebulição. Dezoito mil torcedores gritando a plenos pulmões em delírio, empurrando sua equipe. Para a grande festa de abertura do Mundial de Handebol, na última quarta-feira (11), em Paris, a seleção francesa quis dar um espetáculo à altura da expectativa de seus fanáticos torcedores, e conseguiu.

Azar do Brasil, adversário da estreia da equipe que é a atual campeã mundial e defende o título jogando em casa. O resultado foi um massacre: 31 a 16. Ao final da partida, o armador Zé Toledo, admitiu: os brasileiros sentiram a pressão vinda de um ginásio em delírio.

“Intimidou um pouco por ser dentro da casa deles. A gente sabe que eles são bons. Todos jogam nas melhores ligas do mundo. A atmosfera da Arena deu um pouco de pressão na gente. Eles tiveram muito apoio, e nós apenas com os 16. Esse jogo a gente sabia que poderia perder porque sabíamos que nosso time não era favorito”.

É na condição de favorita e com a obrigação de fazer bonito dentro e fora de quadra que a França acolhe o Mundial de um esporte que se tornou muito popular e motivo de orgulho. O handebol se tornou para a França o que o futebol é para o Brasil: único país pentacampeão mundial (1995, 2001, 2009 e 2013 e 2015)

Olivier Krumbholz, ex-jogador e atual treinador de handebol, é o diretor esportivo do Mundial de handebol. Em entrevista à RFI Brasil, eele explica porque o handebol se tornou tão popular na França. “Primeiramente, porque os resultados da equipe são extraordinários. A equipe masculina, principalmente, ganhou praticamente tudo depois dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. Mas também porque é um esporte muito implantado nas escolas e muitos franceses também jogam handebol em clubes. É um esporte extraordinário, com muito engajamento físico, e os jogos normalmente terminam com pouca diferença de gols”.

O time francês agradece o apoio de sua torcida na comemoração da vitória sobre o Brasil na Arena de Paris. REUTERS/Benoit Tessier

Os jogadores da geração que conquistou também o ouro em Olimpíadas e domina os campeonatos europeus, ficaram conhecidos como “experts”. É o caso do armador Narcisse, que esteve em quadra na estreia contra o Brasil e falou da emoção de ver ginásios do país cheios.

“A cada ano, nós, a Federação francesa e todas as pessoas que trabalham em torno do handebol tentamos fazer este esporte evoluir. Aqui na França, é um esporte que as pessoas gostam cada vez mais, de ver, vir aos ginásios para ver a seleção francês jogar. Nós, jogadores tentamos dar prazer aos torcedores”.
Prazer que o engenheiro francês Thomas Lévêque, vestido com as cores do país, sentiu ao lado do filho ao ver a equipe dar um verdadeiro show em quadra.

“É um esporte que tem muito movimento, os jogadores são muito bons. Gosto de vê-los jogar. O meu filho pratica handebol e acho que o interesse vem do sucesso da França em grandes competições internacionais”, diz o engenheiro.

Seu filho, Mathieu, de 13 anos, explica porque o handebol virou seu esporte preferido: “É um verdadeiro esporte, tem contato físico, é coletivo. Eu jogo na escola, mas vou me inscrever em um clube. Gosto de ver os jogadores porque eles são muito bons”.

Exemplo para o Brasil

O entusiasmo dos franceses com sua seleção vem da admiração por jogadores e pelo sucesso que alcançaram. Para o treinador da seleção brasileira, Washington Nunes da Silva Jr., a França é um exemplo a ser observado.

“Quando a gente fala da França, o campeonato francês tem primeira e segunda divisão. São milhões de jogadores e vários clubes. Estamos nesse processo de aumentar o número de jogadores e de qualificação. Esse é o ‘start’ para o ciclo olímpico que vamos fazer. Ao mesmo tempo, nosso time é um dos mais jovens da competição, o que nos dá possibilidade para um clico olímpico não apenas para 2020 mas também para 2024. Isso é muito bom. É ter tranquilidade, deixar os meninos terem um tempo de maturar”, diz.

O treinador brasileiro, Washington Nunes da Silva Jr. REUTERS/Charles Platiau

Apesar da derrota humilhante na estreia, o handebol brasileiro é visto como um dos exemplos da progressão do esporte fora das fronteiras europeias. As Olimpíadas no Rio foram outro momento de observar que modalidade atrai muitos torcedores e evolui.

A Federação Internacional de handebol que tem 204 países como membros ativos, tem como objetivo popularizar e tornar o esporte mais competitivo. Durante a entrevista coletiva na véspera do início do Mundial, o presidente da Federação, o egípcio Hassan Moustafa, declarou que o o esporte deixou de ser essencialmente “europeu”.

“Nosso maior objetivo é tornar o esporte mais popular e ter mais países jogando e tendo mais atividades relacionadas ao handebol”, diz. “Não é como antes. Há 12 anos estamos trabalhando para desenvolver e promover esse esporte, não apenas de maneira quantitativa mas qualitativa. No Brasil, em termos de espectadores, o handebol já é o número dois, o que significa que estamos crescendo e nos tornando cada vez mais fortes no Brasil também”, afirmou.

O Mundial de handebol da França termina no dia 29 de janeiro. 

 


Sobre o mesmo assunto

  • Handebol/Mundial

    Brasil perde para a França na estreia do Mundial de handebol

    Saiba mais

  • Mundial/handebol

    Mundial de handebol na França vai ter jogo até em estádio de futebol

    Saiba mais

  • Rio 2016

    Rio 2016: decepção no judô e história no handebol

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.