Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Portugal vence França e conquista primeira Eurocopa

media O capitão Cristiano Ronaldo ergue o troféu inédito para Portugal de campeão da Eurocopa 2016. REUTERS/Carl Recine Livepic

De maneira surpreendente, e com um gol no final da prorrogação, a seleção portuguesa venceu por 1 a 0 a favorita França na final da Eurocopa disputada na noite deste domingo (10) no Stade de France. Esta é a primeira vez que Portugal conquista o troféu de campeão da competição, que foi erguido de maneira muito emocionada pelo capitão, Cristiano Ronaldo. O atacante, que acompanhou a maior parte do jogo do banco, conquistou seu primeiro título com a camisa da seleção portuguesa. O luso-brasileiro Pepe foi escolhido o melhor jogador da final.

Direto do Stade de France, em Saint-Denis,

A vitória veio aos 11 minutos da etapa final da prorrogação, depois de bela arrancada do atacante Éder. Ele se livrou do zagueiro e chutou rasteiro de fora da área, longe do alcance de Hugo Lloris que se esforçou mas não evitou o gol que calou milhares de torcedores franceses no estádio.

O resultado foi uma verdadeira punição à seleção francesa que dominou o jogo, teve as melhores oportunidades de marcar, mas não mostrou eficiência no ataque. A equipe de Didier Deschamps não soube superar o forte esquema defensivo e também parou na boa atuação do goleiro Rui Patrício.

As duas seleções buscaram fazer história na final inédita. Portugal entrou em campo buscando seu primeiro título na competição, com Cristiano Ronaldo na esperança de erguer um troféu de campeão com a camisa da seleção portuguesa, única conquista que faltava na sua vitoriosa carreira de jogador.

A França tinha expectativa de se tornar a primeira seleção a vencer duas edições da Eurocopa em casa, após a conquista de 1984. Depois de ter eliminado de maneira convincente os campeões mundiais alemães na semifinal, a França entrou com confiança redobrada para a final. Com quatro empates em toda a competição e apenas uma vitória contra o País de Gales na semifinal, a seleção portuguesa entrou como um azarão na decisão do sonhado título.

A final no Stade de France foi marcada pela saída antecipada do capitão e grande estrela de Portugal, Cristiano Ronaldo. Depois de receber uma pancada forte no joelho em um lance com o francês Dimitri Payet, aos oito minutos, o português tentou ainda ficar em campo, mas na terceira queda no gramado, aos 23 minutos, teve que sair de maca, aos prantos, com muita expressão de dor.

Cristiano Ronaldo deixa o campo de maca ainda no primeiro tempo da final entre França e Portugal no Stade de France. REUTERS/Christian Hartmann

Mesmo sem seu maior ídolo, substituído por Quaresma, os torcedores lusos empurraram a equipe das arquibancadas e viram uma equipe valente, apostando na estratégia de defender bem e tentar surpreender nos contra-ataques.

A França tinha maior posse de bola, mas não conseguia furar o bloqueio defensivo português e nas poucas oportunidades que teve, com Griezmann, Giroud e Sissoko, a bola foi para fora ou foi defendida por Rui Patrício, um dos destaques da seleção portuguesa na final.

No segundo tempo, a seleção francesa continuou com a posse de bola, mas continuava com dificuldades superar a zaga comandada por Pepe, eleito melhor jogador em campo na final. Griezmann voltou a ter outra boa oportunidade de cabeça, e Giroud também teve sua grande chance, mas parou na boa defesa de Rui Patrício.

Gignac em uma das oportunidades para a seleção francesa na final da Eurocopa.

Portugal investia nos contra-ataques, mas sem chegar com muita eficiência ao gol de Hugo Lloris. A melhor tentativa veio com Nani, pela direita. Na espalmada do goleiro, João Mário tentou uma meia-bicicleta que foi parar nas mãos do goleiro francês.

Numa clara tentativa de dar mais volume de jogo, o treinador Fernando Santos sacou Renato Sanches para a entrada do atacante Éder e Didier Deschamps fez entrar Coman e Gignac para dar mais fôlego ao setor ofensivo. E foi do atacante Gignac, já nos acréscimos do tempo regulamentar, a última chance de marcar. Ele chutou na trave, depois de belo drible sobre Pepe, brasileiro naturalizado português.

Na prorrogação, Portugal por pouco não abre o placar com uma cobrança de falta de Raphael, que bateu na trave. Sem conseguir chegar com perigo e pressionados na saída de bola, os franceses deram espaço e num contra golpe rápido e com muita garra, Éder fez o gol que marcou a história do futebol português.

Cristiano Ronaldo vence duplamente Griezmann

A final o Stade de France teve ainda ter um duelo particular entre os dois principais jogadores das duas equipes, que têm em comum o mesmo número da camisa, 7: Cristiano Ronaldo e Griezmann. No entanto, a saída antecipada do português do gramado devido à lesão tirou o brilho do confronto particular entre os dois atacantes.

A partida decisiva era também uma oportunidade para o francês tentar superar Cristiano Ronaldo com uma bela atuação para concorrer com o português ao famoso e prestigioso prêmio Bola de Ouro da Fifa de melhor jogador do ano. Depois de levar seu clube, o Atlético de Madrid, à final da Liga dos Campeões, Griezmann foi celebrado pela torcida e pela imprensa francesa durante a Eurocopa como o líder de uma nova geração de jovens jogadores franceses. Ele terminou como artilheiro da competição com seis gols.

Mas o francês perdeu as oportunidades de balançar as redes na grande decisão e dificilmente vai conseguir tirar de Cristiano Ronaldo o troféu da Fifa de melhor do ano, principalmente a partir desta conquista inédita no Stade de France. Mal terminou o ano, a conquista da Eurocopa parece estender de vez ao português mais um troféu de melhor do mundo.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.