Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/05 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/05 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 24/05 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/05 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/05 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 24/05 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/05 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/05 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Últimas notícias
  • Filme do brasileiro Karim Aïnouz ganha prêmio Um Certo Olhar no Festival de Cannes
Esportes

Valcke é demitido da Fifa por corrupção

media Jérôme Valcke "levou um chute no traseiro" da Fifa. REUTERS/Sergio Moraes/

A Fifa demitiu nesta quarta-feira (13) o secretário-geral Jérôme Valcke. O francês é investigado por corrupção relacionada com a revenda de ingressos da Copa do Mundo do Brasil-2014.

Valcke, ex-braço direito do presidente demissionário da Fifa, Joseph Blatter, foi afastado do cargo no dia 17 de setembro. O francês pode receber uma suspensão de nove anos de qualquer atividade relacionada ao futebol.
O francês pode receber uma suspensão de nove anos de qualquer atividade relacionada ao futebol. Além da suspensão, a justiça interna da Fifa solicitou uma multa de 100.000 francos suíços, cerca de R$ 398.000, contra o ex-número 2 da federação internacional.

O Comitê de Ética da Fifa determinou uma suspensão provisória de 90 dias em 8 de outubro. A medida foi prorrogada por 45 dias em 5 de janeiro. A suspensão continua em vigor e vai além do cargo de secretário-geral, pois proíbe a presença de Valcke em qualquer atividade relacionada com o futebol.

O francês é acusado de ter violado vários artigos do Código de Ética, como o que diz respeito ao conflito de interesses, oferecer ou aceitar presentes e outras vantagens, e a recusa a colaborar, segundo a Fifa.

Em um comunicado enviado à AFP, o advogado americano de Valcke, Harry Berke, protestou contra a decisão. "A justiça interna da Fifa optou por ignorar a conduta exemplar de Jérôme Valcke e suas contribuições extraordinárias durante seu longo mandato de secretário-geral", declarou o advogado.

Jornalista, Valcke foi afastado de sua função "até nova ordem" em 17 de setembro passado, depois que a imprensa inglesa revelou atitudes suspeitas. Os jornais britânicos denunciaram um esquema que teria permitido ao francês receber comissões por operações de revenda, no mercado negro, de milhares de ingressos da Copa do Mundo do Brasil-2014.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.