Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 12/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 12/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 12/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 12/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 12/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 11/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 11/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Brasil brilha nos esportes coletivos e garante o 3º lugar no quadro de medalhas do Pan

media A equipe masculina de handebol vibra com o ouro no Pan CBHb

A delegação brasileira mostrou sua força nos esportes coletivos e conquistou seis medalhas de ouro no sábado (25), nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, contendo o avanço de Cuba para garantir o terceiro lugar no quadro geral. Deu Brasil no lugar mais alto do pódio no basquete e no handebol masculinos, no futebol feminino, e o hino nacional também tocou para representantes individuais do tênis de mesa, do boliche e do caratê.

No total, o país conquistou 16 medalhas no sábado, penúltimo dia de disputa do Pan. Além dos seis ouros, foram cinco pratas e cinco bronzes. Cuba chegou a ameaçar o terceiro lugar dos brasileiros, mas os cinco ouros deles (três no boxe e dois no atletismo) não foram suficientes. O Brasil soma 41 ouros e não pode mais ser alcançado por Cuba (4º), que tem 36 e já encerrou sua participação em Toronto, por não ter nenhum representante nas provas de domingo. Os cubanos não ficavam fora das duas primeiras posições há 44 anos, desde a edição de Cali, na Colômbia, em 1971.

Dobradinha no tênis de mesa

O Brasil soma 140 medalhas e tem certeza de igualar o total de Guadalajara (141), já que disputa a final do vôlei masculino no domingo. A marca pode ser superada em caso de pódio na marcha atlética de 50 km, com Jonathan Riekmann e Cláudio dos Santos. O esporte que mais rendeu medalhas no sábado foi o tênis de mesa, colocando quatro atletas no pódio, com a 'dobradinha' de Hugo Calderano (ouro) e Gustavo Tsuboi (prata) no masculino, além da prata de Gui Lin e o bronze de Caroline Kumahara no feminino.

Já as caratecas brasileiras conquistaram ouro e bronze no feminino, com Natália Brozullatto e Isabela dos Santos, respectivamente. No boliche, Marcelo Suartz subiu ao lugar mais alto do pódio depois de ficar com o bronze em Guadalajara-2011.

Handebol 100% ouro

Os momentos de maior emoção foram nas quadras, com finais eletrizantes no basquete e no handebol. A seleção masculina de basquete teve uma grande exibição coletiva e ignorou a pressão da torcida para vencer os anfitriões canadenses por 86 a 69, conquistando o sexto título pan-americano.

Já o handebol chegou ao tri e imitou o feminino, ao derrotar a arquirrival Argentina na decisão, com vitória por 29 a 27 na prorrogação, dando o troco da última edição, quando amargou o vice-campeonato diante dos hermanos. Dessa forma, o handebol foi o único esporte coletivo do Brasil a triunfar tanto no masculino quanto no feminino, já que as mulheres conquistaram o penta na sexta-feira.

Não será possível conquistar as duas medalhas de ouro no vôlei, já que a seleção feminina bicampeã olímpica teve que se contentar com a prata, ao perder por 3 sets a 0 para os Estados Unidos.

No futebol, as mulheres triunfaram, com goleada por 4 a 0 sobre a Colômbia na final, enquanto a seleção masculina sub-22 suou muito para garantir o bronze, ao vencer o Panamá por 3 a 1 na prorrogação.

Dois bronzes no atletismo

O atletismo rendeu duas medalhas de bronze, com Vanessa Espinola no heptatlo e a equipe masculina do revezamento 4x100 m. No total, o Brasil somou 12 pódios nas pistas (um ouro, cinco pratas e seis bronzes).

Única medalhista de ouro do atletismo brasileiro em Toronto (na terça-feira, nos 5.000 m), Juliana Lima ficou em quinto lugar nos 1.500 m, prova com na qual se sagrou campeã pan-americana em casa, em 2007, no Rio de Janeiro. Na esgrima, a equipe masculina conquistou a prata no florete, com participação de Guislain Perrier, que já tinha levado o bronze no individual.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.