Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 13/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 13/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 13/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 13/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 13/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 13/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 12/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Chile vence Argentina nos pênaltis e conquista título inédito de campeão da Copa América

media Jogadores chilenos comemoram conquista inédita da Copa América Foto: Reuters

A seleção chilena conquistou neste sábado (4) o título de campeã da Copa América depois de vencer a seleção argentina nos pênaltis por 4 - 1. O atacante Alexis Sánchez fez o gol que deu o título inédito à seleção anfitriã do torneio de 2015. As cobranças de pênaltis aconteceram após as duas equipes terminarem o jogo e a prorrogação com um empate sem gols.

A Argentina não se intimidou em  jogar a final no mítico Estádio Nacional de Santiago, lotado com milhares de torcedores fanáticos que coloriram as arquibancadas com a camiseta vermelha da "Roja", como é conhecida a seleção chilena.

No tempo normal, as duas equipes começaram o jogo com um ritmo forte e criaram várias chances de gols. O Chile teve uma boa oportunidade logo nos 10 minutos, com um chute forte de Vidal que obrigou Romero a fazer grande defesa.

A Argentina conseguiu equilibrar o jogo com o entrosamento do meio campo, mas sofreu um desfalque ainda no primeiro tempo com a saída forçada de Dí Maria devido a uma contusão. O time teve boa chance no final do primeiro tempo com Lavezzi, aproveitando uma jogada de Pastore, mas o goleiro Claudio Bravo impediu a abertura do placar.

No segundo tempo, o jogo continuou corrido e com muita marcação. A tensão em campo, com mutas faltas sendo punidas com cartão amarelo se estendeu às arquibancadas, com a polícia sendo chamada para conter um tumulto entre as torcidas rivais.

No último minuto, o argentino Higuaín teve uma grande oportunidade de decidir a partida, mas não conseguiu completar um passe de Lavezzi rente ao gol.

Chances na prorrogação

Empurrada pela sua barulhenta e fanática torcida, a seleção chilena foi para cima da Argentina. No final do primeiro tempo da prorrogação, Alexis Sánchez teve uma clara chance de gol, após um erro de devolução de Mascherano. O atacante chileno avançou pela direita, mas já dentro da área chutou forte e por cima da meta de Romero.

Sem uma grande atuação de Lionel Messi, a Argentina pouco criou e não chegou a assustar o gol chileno, mas se manteve firme no sistema defensivo.

Com o apito final, começaram as cobranças de pênaltis. Fernandez abriu a contagem para o Chile. Messi deixou tudo igual. Vidal colocou novamente os chilenos na frente. Na sequência, o atacante Higuaín chutou para o alto, longe do gol. Áranguiz converteu sua cobrança. O argentino Banega chutou rasteiro no canto esquerdo de Bravo, que defendeu.

Foi então a vez de Sánchez decretar o final das cobranças ao chutar a bola sutilmente, enganando Romero. A torcida chilena pode então comemorar seu primeiro título de campeã da Copa América, competição criada em 1916.

Com mais uma derrota em uma final, a Argentina não conseguiu colocar um fim a 22 anos de jejum de grandes títulos internacionais. No ano passado, Lionel Messi e companhia também terminaram como vice-campeões da Copa de 2014, após derrota de 1 a 0 para a Alemanha na prorrogação.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.