Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 15/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Brasil goleia França por 3 a 1 em amistoso no Stade de France

media Jogadores brasileiros comemoram o gol de Luiz Gustavo contra a França. Foto: Reuters

Exibindo um futebol de boa marcação e de contra-ataques rápidos, a seleção brasileira venceu, de virada, nesta quinta-feira (26) a França por 3 a 1 no Stade de France. O resultado também marcou a sétima vitória consecutiva da equipe desde que Dunga reassumiu o cargo de treinador.

Com a vitória, o Brasil também quebrou um tabu, já que havia perdido duas vezes e empatado outra no estádio onde foi derrotado na final a Copa de 98. Mesmo sendo um jogo amistoso, as duas seleções mostraram disposição de vencer.

A França saiu na frente com um gol de bola parada, aos 21 minutos. Na cobrança de um escanteio, o zagueiro Varane escapou da marcação e cabeceou para o canto, sem chances para Jefferson. O goleiro ja havia defendido uma outra cabeçada de Benzema, no início da partida.

O gol aconteceu em um momento em que a seleção brasileira estava melhor em campo, dominando a posse de bola  e oferecendo perigo nos contra-ataques. Em um deles, Neymar ficou de frente para um marcador na área, mas preferiu chutar colocado, para um boa defesa de Mandanda.

A seleção sentiu o golpe do gol por alguns minutos, mas teve tranquilidade para armar outras boas jogadas ofensivas. O Brasil chegou ao gol de empate aos 40 minutos, com Oscar, aproveitando uma boa tabela de ataque que envolveu Neymar e o estreante Roberto Firmino.

Show no 2° tempo

Sem alterações, as duas equipes voltaram para o segundo mais abertas. E não demorou muito para o Brasil mostrar eficiência na ligação entre o meio de campo e o ataque. A seleção virou o jogo aos 12 minutos, com Neymar,  bem servido pela esquerda em boa arrancada de Willian. O chute saiu forte e bem colocado, sem chances para Mandanda.

Desordenada em campo e pressionada pela torcida para chegaar ao empate, a seleção francesa abriu mais espaços para os contra-golpes. Mas foi de bola parada que veio o terceiro gol, com Luiz Gustavo, aos 24 minutos, aproveitando uma bobeira da defesa e cabeceando um escanteio cobrado por Willian, um dos melhores da seleção em campo.

O treinador Didier Deschamps fez várias alterações para tentar uma reação, com a entrada até do atacante estreante Fekir. Em uma rara oportunidade, o jogador do Lyon, chutou de fora da área para uma boa defesa de Jefferson. O centro avante Giroud, do Arsenal, também entrou para reforçar o setor ofensivo, mas a estratégia não surtiu efeito. Os franceses pararam na marcação firme da defesa, liderada por Thiago Silva e Miranda.

Com a vitória garantida, Dunga promoveu cinco alterações para preservar principalmente os atletas de meio-campo. Com o show de bola da seleção, diversos torcedores que exibiam bandeiras brasileiras nas araquibancadas chegaram a gritar "olé" em longa trocas de passes depois do terceiro gol e outros ensaiaram alguns gritos de "pentacampeão", uma provocação que os torcedores franceses tiveram que engolir.

 

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.