Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Mourinho se diz “envergonhado” por racismo de torcedores do Chelsea

media Técnico português José Mourinho espera que visita a estádio do Chelsea faça vítima mudar de ideia sobre o time. REUTERS/Christian Hartmann

O técnico José Mourinho declarou nesta sexta-feira (20) ter se sentido “envergonhado” com os insultos racistas feitos por torcedores do Chelsea em Paris, onde empurraram um passageiro negro para fora de um vagão do metrô. O treinador espera que a vítima aceite o convite para assistir a um jogo no Stamford Bridge, para ver que esse tipo de comportamento não reflete o que o Chelsea é “realmente”.

O técnico José Mourinho declarou nesta sexta-feira (20) ter se sentido “envergonhado” com os insultos racistas feitos por torcedores do Chelsea em Paris, onde empurraram um passageiro negro para fora de um vagão do metrô. O treinador espera que a vítima aceite o convite para assistir a um jogo no Stamford Bridge, para ver que esse tipo de comportamento não reflete o que o Chelsea é “realmente”.

O homem, identificado apenas como Souleymane S., prestou queixa à polícia francesa sobre o incidente. Os torcedores o impediram de entrar no vagão onde estavam e gritaram “nós somos racistas”. As agressões ocorreram na terça-feira (17), na estação de metrô Richelieu-Drouot, antes do jogo entre o Paris Saint-Germain e o Chelsea, pela Liga dos Campeões.

"Nós sentimos vergonha, mas talvez não devêssemos, porque eu me recuso a ser relacionado com essas pessoas. Eu deixei o Chelsea em 2007 e não podia esperar para voltar, mas não é por causa de pessoas tão infelizes que eu quis voltar", disse Mourinho.

A equipe inglesa suspendeu três torcedores flagrados em um vídeo durante o incidente e disse que estava colaborando com as polícias britânica e francesa para identificar outras pessoas envolvidas. O clube convidou Souleymane e sua família para assistirem à partida de volta do confronto com o PSG, em março.

Convite para Londres

"Eu acho que ele iria assistir não só à partida, mas iria sentir o que é o Chelsea realmente. Por enquanto ele tem a ideia errada do que é o Chelsea", afirmou Mourinho a jornalistas. "Ele iria sentir que as pessoas que fizeram essa ação a ele não são o Chelsea. O Chelsea é o dono, a diretoria, o técnico, os jogadores, as pessoas que trabalham aqui, e também é a verdadeira torcida do Chelsea", acrescentou o técnico.

O dono do clube, Roman Abramovich, declarou estar aborrecido com o incidente e que iria suspender para sempre qualquer torcedor que tenha participado dos insultos. Já Mourinho destacou que o time é marcado por ser multicultural. “Sempre foi uma equipe com grandes princípios de igualdade e não só sobre raça, mas também sobre religião, sobre tudo", ressaltou o técnico português. "A equipe reagiu da mesma maneira que eu, com desapontamento, mas sempre com o sentimento de que não pertencemos a essas pessoas e elas não pertencem a nós", completou.

O clube disse nesta sexta-feira que mais suspensões podem acontecer conforme as investigações avançam, mas não adiantou mais nomes de torcedores envolvidos no episódio.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.