Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/06 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/06 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 17/06 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Brasil é humilhado pela Alemanha por 7 a 1 e vai disputar terceiro lugar

media Alemães celebram goleada de 7 a 1 sobre a Seleção brasileira, pelas semifinais da Copa do Mundo nesta terça (8). REUTERS/Marcos Brindicci

A seleção alemã impôs a derrota mais vergonhosa do Brasil em uma Copa do Mundo na semifinal disputada nesta terça-feira (8) em Belo Horizonte e garantiu sua vaga na final que será disputada no domingo no Maracanã. Irreconhecível e completamente dominada dentro de campo, a equipe de Felipão saiu entre aplausos e vaias na sua despedida do Mineirão, e agora aguarda o perdedor de Argentina e Holanda para conhecer seu adversário na disputa pelo terceiro lugar.

A Alemanha deu um show de força, disciplina técnica e tática e destruiu o Brasil com menos da metade do primeiro tempo jogado. O espetáculo da equipe do treinador Joachim Löw começou com o um de seus pontos mais fortes e eficientes: aproveitamento de lances de bola parada. De um escanteio, houve falha na marcação da zaga do Brasil e Müller apareceu sozinho para abrir o placar aos 10 minutos.

O Brasil procurou assimilar o golpe, mas aos 22 minutos, em bela jogada na área, Kroos deixou Klose frente a frente com Júlio César. O goleiro defendeu, mas na sobra, o próprio atacante completou, fazendo o segundo gol da Alemanha e o seu 16° em Copas, batendo o recorde de Ronaldo.

Dali para frente o Brasil se perdeu em campo e o show alemão continou. Aos 24’, da direira, veio cruzamento e Kroos, livre, acertou uma bomba de esquerda.  Um minuto depois, Fernandinho perdeu a bola na intermediária, Khedira lançou novamente Kroos que sem marcação, novamente balança as redes.

Transtornada em campo, a seleção brasileira abriu espaços e aos 28 minutos foi o a vez de Khedira marcar o dele, o que fez a torcida alemã continuar sua festa no Mineirão.

Segundo tempo

Com o destino do jogo já selado, Felipão tentou mexer no time e colocou Paulinho e Ramirez nos lugares de Fernandinho e Hulk depois do intervalo de jogo.

Aos 6 minutos do segundo tempo, em bela jogada do ataque, Fred deixou Oscar livre, mas Neuer evitou o gol. Aos 8 minutos, Paulinho foi lançado e Neuer fez outra grande defesa, impedindo novamente a seleção de marcar.

Quando o Brasil parecia mais próximo de fazer um gol de honra, a Alemanha ampliou o vexame com Schuerrle que havia entrado no lugar de Klose. Aos 23 minutos, ele recebeu um passe sozinho na área e fuzilou o goleiro brasileiro.

Dez minutos depois, o mesmo atacante aproveitou nova bobeira do ataque do Brasil e ampliou o drama da seleção com um belo chute forte de perna esquerda, sem que Júlio Cesar pudesse reagir.

Mineiraço

Torcedores brasileiros aplaudiram a jogada e depois passaram a gritar “olé!” a cada passe dos alemães no ataque, concluindo de forma humilhante a semifinal do Brasil, que será conhecida eternamente como “Mineiraço”.

Na arquibancadas, os milhares de torcedores faziam festa e entre gritos de guerra adaptaram o a letra de “Vamos a la playa” para “Rio de Janeiro, ô ô ô ô”.

Aos 45 minutos, o gol de honra do Brasil, com Oscar, sendo lançado, e desviando do goleiro, e chutou forte. Os torcedores comemoraram, mas depois do apito final, disseram adeus seleção de maneira dividida, entre aplausos e vaias.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.