Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/11 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 16/11 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 16/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Economia

Ameaça de recessão pode pôr fim a dez anos de crescimento na Alemanha

media Containers no porte de Hamburgo, no norte da Alemanha. O recuo das exportações, principal pilar da economia alemã, explica em grande parte o PIB negativo no segundo trimestre de 2019. Getty Images/Jorg Greuel

Será o fim da "década dourada" da economia alemã? Depois da queda de 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB) da primeira potência e motor econômico da Zona do Euro no segundo trimestre de 2019, a degradação aumenta o número de defensores de uma intervenção do governo para apoiar e relançar a economia.

Com informações do correspondente da RFI em Berlim, Pascal Thibaut

A economia alemã começou a dar sinais de desaceleração. Depois de crescer 0,4% nos três primeiros meses de 2019, o recuo do PIB nacional registrado no segundo trimestre é pequeno, mas muito simbólico. A queda das exportações, um dos pilares da economia alemã, explica em grande parte o índice negativo.

A Alemanha é vítima da degradação do comércio mundial, provocada pela guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. A indústria do pais foi atingida em cheio. Em junho, a produção caiu 1,5%, acumulando uma queda de 5% em um ano.

Para o ministro alemão da economia, Peter Altmaier, este é o primeiro sinal de alerta. Ele diz que tudo deve ser feito para evitar a recessão no país, caracterizada quando o produto interno bruto registra dois trimestres consecutivos no vermelho. Ele propõe diminuir impostos, tanto para as empresas quanto para população.

A chanceler Angela Merkel, mostra mais confiança. Na terça-feira (13), ela julgou que um plano conjuntural para relançar a economia, financiado pela dívida, não é uma boa saída.

Sacrossanto equilíbrio orçamentário

O equilíbrio orçamentário é quase um dogma na Alemanha, mas o PIB negativo deve redobrar os questionamentos sobre ele. Mesmo economistas conservadores estimam agora que o país não investiu suficientemente e que as taxas de juros atuais permitem maiores gastos, sem grandes riscos.

Lembrando que o país conseguiu equilibrar as contas públicas nos últimos anos, a Federação da Indústria alemã defende medidas para dinamizar a conjuntura. Todos os partidos de esquerda alemães apoiam essa proposta.

Consumo interno

Por enquanto, é o consumo interno que mantém uma certa estabilidade econômica no país. Graças a uma taxa desemprego baixa e salários em alta, os alemães estão consumindo mais.

No entanto, as perspectivas não são boas. Além das medidas protecionistas americanas, o Brexit deve representar um grande risco para os produtos made in Germany. As estimativas de crescimento do governo alemão para 2019 foram revisadas. O país deve crescer apenas 0,5% este ano, mas em 2020 pode voltar a crescer como em 2018, isto é, 1,5%.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.