Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Economia

Tensão comercial e Brexit reduzem previsão de crescimento da UE em 2020

media O comissário europeu de Assuntos Financeiros, Pierre Moscovici. REUTERS/Francois Lenoir

A economia da zona do euro crescerá 1,4% em 2020, um décimo a menos do previsto na projeção anterior da Comissão Europeia. A morosidade é atribuída à tensão comercial mundial, provocada pela guerra tarifária lançada pelo presidente americano, Donald Trump, e às incertezas políticas relacionadas ao Brexit.

O Executivo europeu não mudou a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do conjunto dos 19 países que compartilham a moeda única europeia para 2019. A projeção continua sendo de 1,2%, depois de avançar 1,9% em 2018 e 2,4% no ano anterior.

"A economia europeia continua crescendo em um contexto global difícil. Todos os países devem crescer este ano e no próximo", afirmou o comissário europeu de Assuntos Financeiros, Pierre Moscovici, em um comunicado.

Bruxelas reduziu em um décimo as projeções para 2020 das duas maiores economias europeias, Alemanha e França, a 1,4% nos dois casos. Em 2019, o PIB alemão deve crescer 0,5% e o francês 1,3%. A Itália, terceira maior economia do bloco, atualmente governada por uma coalizão de partidos de extrema direita e antissistema, deve crescer 0,1% em 2019 e 0,7% um ano depois, segundo a Comissão.

"O crescimento sólido na Europa Central e do Leste contrasta com a desaceleração na Alemanha e Itália", afirmou o vice-presidente da Comissão para o euro, Valdis Dombrovskis.

A inflação deve alcançar 1,3% tanto em 2019 quanto em 2020, contra 1,8% em 2018. A meta do Banco Central Europeu (BCE) é um índice próximo a 2%, que a instituição considera um sinal de boa saúde econômica.

* Com informações da AFP

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.