Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 16/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 16/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 16/12 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 16/12 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 16/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 16/12 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 15/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 15/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Economia

Sindicatos europeus convocam greve na Amazon em plena Black Friday

media Armazém da Amazon: saúde e segurança no trabalho ignoradas pela empresa, segundo os sindicatos. REUTERS/Darren Staples

Nesta quinta-feira (23) os empregados da Amazon na Europa foram convocados à greve em plena Black Friday para alertar sobre as más condições de trabalho na empresa.

Evento norte-americano, criado por comerciantes na década de 1950, a Black Friday cai na quarta sexta-feira de novembro, no dia seguinte ao Dia de Ação de Graças, abrindo a temporada de compras de Natal. Agora, espalhada pelo mundo, a Black Friday se tornou o dia em que o comércio faz uma liquidação de 24 horas, com preços supostamente muito baixos.

“É o melhor dia para fazer com que a nossa voz seja ouvida e para pressionar o empregador que nos ignora há anos, quando os problemas dos empregados, sobretudo de saúde, são recorrentes na Alemanha e no resto do mundo”, disse à AFP Thomas Voss, porta-voz do Verdi, maior sindicato de trabalhadores alemães no setor de serviços.

Na Alemanha, a convocação à greve abrange seis instalações da Amazon (Bad Hersfeld, Leipzig, Rheinberg, Werne, Creuser e Coblence), mas o porta-voz do Verdi lamenta que as encomendas feitas na Alemanha não serão totalmente paralisadas.

O Verdi, que alega ter uma taxa de sindicalização de 35% dos empregados da Amazon na Alemanha, exige que seja instituída uma primeira convenção coletiva com a empresa americana, centrada na saúde dos seus funcionários.

“A Amazon brinca com a saúde dos seus empregados. A pressão para que se produza cada vez mais num tempo que se reduz, as avaliações de performance e a vigilância são permanentes”, enquanto o tempo de repouso é insuficiente”, denuncia o sindicato.

Na Itália

Na Itália, os trabalhadores do centro de distribuição da Amazon em Castel San Giovanni já entraram em greve nesta quinta-feira.

Num comunicado, citado pela imprensa italiana, a direção da Amazon garantiu que ela continua “focada no objetivo de cumprir os prazos de entrega aos clientes da Black Friday e dos dias seguintes”.

Na França

A Confédération Générale du Travail (CGT), um dos mais importantes sindicatos franceses, não aderiu à convocação de greve para esta Black Friday.

Em contrapartida, a administração do armazém da Amazon em Lauwin-Planque foi advertida no início da semana pelos sindicatos após o lançamento de um controverso "jogo" às vésperas do período de compras do Natal: os empregados eram incitados a ignorar certas regras de segurança, recebendo em troca um brinde de Natal.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.