Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 20/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 20/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 20/11 14h00 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 20/11 08h30 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 19/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 19/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 19/11 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 17/11 08h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

“Temer vive lua de mel em ilha cheia de tsunamis”, avalia consultor

“Temer vive lua de mel em ilha cheia de tsunamis”, avalia consultor
 
O economista e especialista em agronegócios Jean-Yves Carfantan. RFI

O governo do presidente interino, Michel Temer, corre contra o tempo para apresentar resultados na economia do Brasil, devastada pela recessão. Na avaliação do especialista no mercado de matérias-primas Jean-Yves Carfantan, franco-brasileiro diretor da consultoria AgroBrasConsult, o peemedebista tem uma fraca margem de manobra.

“Até agora, o governo Temer teve uma fase normal em qualquer governo, de lua de mel. Mas é uma lua de mel em uma ilha cercada de tsunamis: tsunami judiciário, político, econômico”, constata Carfantan, ex-professor universitário.

Para o franco-brasileiro, as medidas econômicas anunciadas por Temer até o momento vão no sentido do equilíbrio das finanças públicas, com mais abertura da economia. Ele observa que, se o governo não conseguir reverter a deterioração da dívida pública, a crise poderia se acentuar bem mais nos próximos dois anos. “Para isso, ele terá de adotar reformas amargas, como a da previdência”, afirma.

Quanto à agricultura, o consultor chama a atenção para o valor da cotação do dólar. Os números favoráveis das exportações têm sido um dos raros alentos para a crise, beneficiados pelo câmbio favorável ao Brasil. “Para o setor da agropecuária, o dólar a R$ 3,40 ainda é razoável, mas se cair abaixo de R$ 3,20, tudo complica”, indica. “Se o dólar seguir em queda, vai levar para a crise um setor que, por enquanto, não esta contaminado.”

Confira a entrevista completa, realizada nos estúdios da RFI em Paris.
 

 


Sobre o mesmo assunto

  • Brasil/Economia

    Agricultura é oásis de prosperidade em meio à crise brasileira

    Saiba mais

  • Crise

    Situação no Brasil segue 'delicada' para imprensa francesa

    Saiba mais

  • Brasil/UE

    Governo de Temer não é legítimo para negociar com UE, diz eurodeputado à RFI

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.