Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Economia

Greve de pilotos da Lufthansa cancela dois voos no Rio de Janeiro

media Greve dos pilotos da Lufthansa contra corte de benefícios sociais e o plano de redução de custos da empresa. REUTERS/Kai Pfaffenbach

Quase a metade dos voos de longa distância da Lufthansa previstos para esta terça-feira (8) foram cancelados devido a uma greve dos pilotos, a 13ª desde abril do ano passado. Eles protestam contra um corte de benefícios sociais e o plano de redução de custos da empresa.A greve começou às 8h e deve durar até meia-noite, pelo horário local. Além dos voos de passageiros, os de carga também são afetados. Dois voos ligando Brasil e Alemanha foram cancelados.

Entre os voos cancelados estão o LH 500, que sairia de Frankfurt esta noite e chegaria ao Rio de Janeiro na manhã de quarta-feira, e o voo LH 501, que sairia amanhã à noite do Rio com chegada a Frankfurt na tarde de quinta-feira. A Lufthansa garantiu 90 voos de longa distância de um total de 174 previstos para hoje, além de sete voos de carga, graças a pilotos que decidiram trabalhar voluntariamente.

A companhia aérea alemã anunciou um plano de redução de custos para manter sua fatia de mercado e enfrentar a concorrência das empresas de baixo custo.

Negociações não avançam

Na semana passada, as negociações entre a direção da Lufthansa e o sindicato Cockpit − que representa 5 mil pilotos − foram rompidas. O sindicato alega que fez várias concessões, como o aumento da idade mínima para requisição da aposentadoria, acima de 60 anos, e prometeu analisar as medidas de ajuste dos preços aos níveis de companhias de baixo custo, como a Easyjet. Em contrapartida, a categoria exige que a Lufthansa pare de empregar pilotos com contratos não-alemães, que prevêm menos garantias sociais. Esses contratos têm sido utilizados principalmente pela filial Eurowings, que opera com uma licença austríaca.

O sindicato de pilotos anunciou que uma outra paralisação foi marcada para amanhã. Ela vai afetar voos de curta e média distâncias.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.