Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Economia

França quer que bancos financiem transição energética nas moradias

media Ségolène Royal, ministra de Energia e Meio Ambiente. REUTERS/Benoit Tessier

A França anunciou nesta segunda-feira (23) um pacote de incentivos fiscais e empréstimos de baixo custo para melhorar o isolamento térmico em edifícios e aumentar o investimento em energia renovável, que deve fornecer 40% do país até 2030. O Estado vai conceder ajuda financeira para a população e as empresas e pede que os bancos financiem as mudanças.

O governo vai disponibilizar 5 bilhões de euros de crédito, com baixas taxas de juros, para apoiar projetos das autoridades locais, explicaram a ministra de Energia e Meio Ambiente, Ségolène Royal, o ministro das Finanças, Michel Sapin, e a ministra da Habitação, Sylvia Pinel, em entrevista coletiva. Atualmente, a energia renovável é responsável por 14% da eletricidade da França.

Proprietários de imóveis serão autorizados a deduzir 30% do custo do isolamento térmico de seus rendimentos tributáveis, limitado a um teto de 16.000 euros por casal. O governo também vai simplificar o acesso a empréstimos para reformas nas casas.

O banco público de investimentos BPI France vai criar um fundo de garantia, disponibilizado pelos bancos comerciais, para pequenas e médias empresas especializadas em isolamento térmico e construção de instalações de energia renovável. "A transição energética é um investimento a longo prazo, mas é um investimento rentável e, portanto, vai encontrar financiamento", disse Sapin. “A transição energética será um feito do setor privado”, destacou o ministro, para quem o setor é “um acelerador do crescimento de empregos”.

Para Ségolène Royal, “o desafio é mobilizar” os credores privados para que eles “também aproveitem os objetivos” do governo em termos de transição energética.

Programa

O ambicioso programa para reduzir a dependência do país de energia nuclear e combustíveis fósseis foi anunciado na semana passada pelo governo socialista, depois de meses de um intenso debate sobre o projeto. A proposta de lei, apresentada por Royal, visa a transformar a França em um país mais verde e em reduzir os custos energéticos do país.

O projeto é uma oportunidade "para desenvolver novas tecnologias, transporte limpo, eficiência energética e, consequentemente, melhorar a competitividade das empresas", declarou a ministra, na quarta-feira.

O objetivo é diminuir o consumo final de energia no país pela metade até 2050 e o uso de combustíveis fósseis em 30% até 2030, em comparação com os níveis de 2012.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.