Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 19/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 19/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Economia

Liquidações do “Black Friday” ainda não emplacam na França

media Consumidores aproveitam liquidações da Black Friday em loja de eletrônicos em Cambridge (Massachusetts). REUTERS/Brian Snyder

Nos Estados Unidos, Black Friday, sexta-feira após o feriado de Ação de Graças é um dos dias mais aguardados por consumidores e pelos comerciantes que fazem uma grande queima de estoque. Essa liquidação excepcional tem sido exportada para países como Brasil e países europeus. Na França, porém, essa tradição comercial ainda não seduz os varejistas.

Verdadeira febre nos Estados Unidos, a Black Friday (sexta-feira negra na tradução em português) ainda não empolga os consumidores franceses. Nesta sexta-feira, enquanto milhões de americanos farão filas atrás de descontos, na França, apenas grandes marcas internacionais, especialmente americanas, farão liquidações. E o fenômeno deve ficar restrito ao comércio eletrônico.

Uma das empresas que promete redução dos seus produtos é a Apple. Em seu site, gigante da informática e da telefonia celular promete descontos que giram em torno de 10% a 15%. O portal de vendas pela internet www.lighinthebox e a filial francesa da Amazon exibem preços reduzidos nesta sexta-feira. A francesa Fnac segue o exemplo dos concorrentes internacionais e também oferece promoções.

Já nos Estados Unidos, a tradicional liquidação da sexta-feira deve atrair 97 milhões de americanos que podem gastar cerca de U$ 600 bilhões apenas hoje (R$ 1,3 bilhão). Desse total, U$ 80 bilhões (R$ 186 bilhões) são de vendas pela internet. Para muitos lojistas, esse é um dos dias de maior movimento do ano. No Brasil, essa quarta edição da Black Friday  deve gerar um faturamento de R$ 340 milhões. Segundo dados da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, no ano passado, a data gerou R$ 243,8 milhões nas vendas online.

Para especialistas do varejo, umas das razões para a moda da Black Friday não ser tão popular na França é a regulamentação do segmento no país. O calendário das grandes promoções nas lojas físicas é fixado de forma oficial. A próxima temporada de liquidações está marcada para começar no dia 8 de janeiro e dura cinco semanas. Mas, na internet, que é menos regulada, o fenômeno pode ganhar mais importância nos próximos anos.

Até lá, as vendas de Natal continuarão a ser o grande filão do comércio francês. “Para o Natal de 2013, as vendas pela internet devem atingir 10,3 bilhões de euros (R$ 31 bilhões), o que representa uma alta de 14% em relação ano Natal de 2012", avalia a Fevad (Federação Francesa de Vendas Eletrônicas e à Distância).

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.