Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Economia

Operadora francesa reduz preços de celular pela metade

media Xavier Niel, fundador da Free, durante lançamento do esperado serviço de telefonia móvel da marca, nesta terça-feira em Paris. REUTERS/Benoit Tessier

A companhia de telecomunicações francesa Free anunciou hoje a abertura de um pacote de serviços de celular que vai mexer com o mercado no país. Ao custo de 19,99 euros (47 reais), metade do valor oferecido no mercado, a operadora disponibiliza internet 3G ilimitada, ligações livres para a França e outros 40 países e ainda tem o envio de mensagens de texto, foto e vídeo incluídos.

O novo plano não exige tempo mínimo de adesão. O anúncio já era esperado pelo mercado, embora a tarifa do plano ainda fosse um mistério. Até o momento, planos similares de celular custavam pelo menos o dobro, 39 euros, e não incluíam ligações para o exterior.

“Em 2008, nós tínhamos prometido dividir a sua conta por dois. Desde então, as operadoras presentes no mercado baixaram seus preços em somente 10%”, explicou o diretor-presidente da empresa, Xavier Niel, em uma coletiva de imprensa com ares de show. “A Free propõe hoje pacotes que dividirão de duas a quatorze vezes os planos existentes.”

Não restam dúvidas de que a novidade vai fazer as concorrentes Orange, SFR e Bouygues, procurarem alternativas para não perder clientes. “É um Dia D para a Free e nós a deixamos saboreá-lo. Mas que os nossos clientes fiquem tranquilos, nós lhes procuraremos para falar sobre novas propostas que preparamos”, disse a Orange, em comunicado.

A Free – que até então oferecia o serviço de internet, televisão a cabo e telefonia fixa - obteve em dezembro a licença das autoridades francesas para operar na rede móvel 3G, e agora se lança no mercado móvel. “Você tem a escolha de dar uma lição à sua operadora, abandonando-a ou obrigando-a baixar os preços”, afirmou Niel.

A companhia inaugurou ainda um segundo plano, chamado “social” e destinado à clientela de baixa de renda, que custará 2 euros (4,7 reais) e incluirá uma hora de ligações e 60 mensagens de texto. A iniciativa rendeu elogios do ministro da Indústria da França, Eric Besson, que parabenizou “a oferta em favor dos cidadãos mais desfavorecidos”.

Os dois planos estão disponíveis desde hoje para “os primeiros 3 milhões de clientes”, de acordo com o diretor-geral da operadora. “Veremos o que vai acontecer. O nosso plano de baixo custo para internet só seduziu 14 mil clientes, entre os mais de 500 mil planos de smartphones vendidos em dezembro”, ironizou o diretor-geral da concorrente SFR, Franck Cadoret.

Desde o final da manhã, a procura de clientes era tanta que o site da Free ficou fora do ar. O anúncio também provocou reações positivas na bolsa: as ações da empresa subiram 1,41% nesta terça-feira.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.