Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 15/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 15/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 15/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Stanley Donen, diretor de “Cantando na Chuva”, morre aos 94 anos

media Stanley Donen, ao lado da atriz Sophia Loren, recebe um Leão de Ouro de honra em Veneza, em 2004. VINCENZO PINTO / AFP

O diretor americano Stanley Donen, um dos últimos representantes da Era de Ouro de Hollywood, morreu aos 94 anos, informou um de seus filhos ao Chicago Tribune neste sábado (23). De acordo com o jornal, Donen faleceu de um ataque cardíaco na quinta-feira (21) em Nova York.

Stanley Donen dirigiu dezenas de filmes e musicais, incluindo o lendário "Cantando na Chuva". Ele também foi responsável por outros sucessos, como "Um dia em Nova York" e "Cinderela em Paris".

Em sua juventude, Donen foi dançarino. Foi durante sua passagem pela Broadway, inclusive, que começou sua amizade com Gene Kelly, com quem fez diversas colaborações. O diretor, que era igualmente coreógrafo, também trabalhou com Audrey Hepburn, sua estrela preferida de Hollywood.

Stanley Donen teve uma carreira cheia de altos e baixos. “Não podemos cantar na chuva a vida toda”, disse ele em 1969, durante a estreia de “Os Delicados”, filme que foi um fracasso comercial.

Comédias musicais do passado

Stanley Donen recebeu em 1998, aos 77 anos, um Oscar, das mãos de Martin Scorsese, pelo conjunto de sua obra “marcada de graça, elegância, humor e inovação visual”. Com a estatueta nas mãos, ele fez alguns sapateados e foi intensamente aplaudido pelo público.

“Todas essas comédias musicais pertencem ao passado”, disse Donen ao New York Times, em 1996. “Se voltarmos à cena onde Gene Kelly dança sob a chuva, ele olharia para todos os lados com medo de ser detido pela polícia.”

“Donen levou a comédia musical a uma direção brilhante e pessoal: não somente ele ousou transpor a barreira que separava os estúdios do lado exterior, mas também foi capaz de filmar com a mesma liberdade que no interior”, afirma o historiador do cinema David Thompson em seu “Dicionário do filme americano”.

Pai de três filhos, Stanley se casou cinco vezes e viveu uma breve história com a atriz Elizabeth Taylor.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.